No último dia 16, informadas de uma ordem judicial, moradores da vila Nova Guaporé realizaram uma manifestação durante a madrugada no Contorno Sul, às margens e com o fechamento da BR-376. Mesmo sem nenhum incidente o bloqueio na rodovia gerou um engarrafamento de quatro quilômetros.


De nada adiantou. As 5 da manhã do dia 17, mais de 300 famílias foram surpreendidas com a chegada dos “oficiais” e um contingente de 500 policiais militares armados, acompanhados da cavalaria e de tratores para derrubar os barracos, em sua maioria ainda improvisados. Com o documento de reintegração de posse determinaram a saída de todos, com a permissão de retirar rapidamente seus pertences. O prazo para fazer a mudança, segundo moradores, foi de uma hora.


Com a ação, 311 famílias ficaram sem casa às vésperas do Natal. Muitos conseguiram sair das casas apenas com a roupa do corpo. De acordo com a prefeitura, seis famílias aceitaram atendimento e decidiram voltar para suas casas, mas informaram à FAS que precisavam de alimentos e receberão crédito alimentar. Boa parte das famílias, segundo a nota, já é atendida pela FAS. Outras são do município vizinho de Araucária e foram atendidas por representantes de lá. A prefeitura diz que todas as famílias foram convidadas para serem atendidas assim que desejarem.


Já do governo do Estado apenas uma nota: a Polícia Militar estava apenas cumprindo decisão judicial e que o atendimento aos moradores da cidade cabe à Prefeitura de Curitiba.
Sobre a FAS e Conselho Tutelar existem versões diferentes entre moradores. Uns dizem não ter havido atendimento enquanto outros confirmam a versão da Fundação de Ação Social.


Segundo a FAS somente nove famílias aceitaram o auxílio.