O amor é sentimento e como tal dificilmente pode ser controlado

 

Podemos amar quem não presta, quem não merece nosso amor e também deixar de amar a pessoa que mais nos faz bem.
O amor é um sentimento conduzido pela emoção e pode acontecer quando a gente menos espera. Tão íntimo, por vezes chega a ser estranho. Como pode o fulano gostar daquela menina que… Como é que a bela morena pôde me trocar pelo Beto… mulher gostando de mulher ainda soa estranho pra muita gente. E homem apaixonado por homem então?!
O amor é um sentimento conduzido pela emoção onde, a exemplo de tudo na vida, a presença da racionalidade consegue aprimorar o convívio e a relação. Através do entendimento das atitudes e ações dos parceiros.
Misturando a improvisação sentimental, sem alvos definidos, com as atitudes afetivas racionais (de resultados já comprovados), a intensidade da relação só tende a aumentar.
Como duas pessoas diferentes, temos de entender como normal a existência de interesses conflitantes, gostos, e em especial costumes. E neste momento que vem o exercício da tolerância que no primeiro momento é fácil diante do novo, do aflorar do amor, onde tudo é lindo. No transcorrer do tempo esta “graça” diminui diante da realidade do dia a dia a dia.
Aí vem o momento do equilíbrio entre o encontro preparado e alegre pra jantar e o acordar de pijama sem escovar os dentes antes do café da manhã.
Começa ai o exercício da tolerância, entendendo que o dia de hoje começa diferente que terminou ontem.
Tenho de adequar meus hábitos para partilhar o quarto, o banheiro, a casa. Assim também ir adequando meu comportamento durante o dia para partilhar com quem esta ao meu lado. Não estou mais sozinho fazendo tudo da maneira que EU quero
Vamos administrar este convívio a dois.
Quem vai ser mais tolerante? Melhor que seja você. Se colocar na balança então, sempre vai se considerar mais tolerante.
Primeira coisa que precisa ser entendida pelo casal: Esta pessoa que esta do seu lado, você escolheu para viver com ela, certo?
É com ela que (provavelmente) você tem ou vai ter seus filhos. É com ela que você deita e acorda praticamente todos os dias de sua vida, partilha suas alegrias, divide os dias, os finais de semana, as férias, os passeios, as visitas, as festas, os velórios, as doenças, as tristezas…
Porque continuar assim, com estas briguinhas bestas, provocações e discussões que se repetem, se ambos já sabem o resultado.
Receitinha para acabar com este stress: senta ai e deixa tudo bem claro e transparente. Faça um levantamento dos problemas e discussões que os afligem enquanto é tempo. Decidam: quando acontecer isto, o caminho vai ser este; quando acontecer aquilo, o caminho vai ser este outro, com variações para os dias de TPM, quando discuto com meu chefe, ou quando um dos dois parceiros esteja fora de controle, etc.
Esta fora de controle? Reconheça a condição e vá procurar SUA solução. Se possível com a ajuda da pessoa mais importante da sua vida. Esta pessoa que está ai do seu lado. Ela pode ser a mais chata em alguns momentos, mas juntos vocês já viram muita estrela brilhar.
Combine algumas maneiras de abrir mão de coisas chatas em favor desta pessoa que você escolheu para viver junto. Combinem uns jeitinhos amorosos para ficarem juntos por mais tempo vendo estrelas.
E, acima de tudo: Lembre sempre que esta pessoa ai do seu lado é a pessoa mais importante na sua vida hoje. VOCÊ a escolheu para viver com você; para dividir a sua cama, sua casa, seus dias, sua vida e filhos (se tiver).
Seja feliz fazendo seu amor feliz.