A cidade de Curitiba possui uma hamburgueria com uma temática, e uma estrutura, completamente inovadora. A Cooldown E-Sports n ‘Burgers é um restaurante que, além de vender hambúrgueres, também é o ponto de encontro dos fãs de eSports da cidade. Além da temática ao redor do estabelecimento e dos telões espalhados pelas mesas, que transmitem as principais partidas e campeonatos oficiais do Brasil e do mundo, o restaurante conta com uma espécie de lan house para os jogadores.

Funcionando desde 2017, ou seja, com apenas um ano de atividade, a Cooldown conseguiu o apoio de algumas empresas para oferecer um espaço com vários computadores para os gamers. A HyperX, fabricante de periféricos e acessórios para jogadores, e a Rawar, loja de computadores, deram apoio e nome ao local especial. Além disso, também é possível transmitir jogos ao vivo pela Twitch TV ou até mesmo no YouTube. É um local todo pensado para o público que procura uma alternativa aos bares que costumam transmitir esportes tradicionais, como futebol ou corridas de automobilismo.

Outro projeto do estabelecimento é a organização de campeonatos, em parceria feita com a DT3sports. Por lá, é possível acompanhar, ao vivo, pequenos torneios que acontecem em Curitiba. A parte de alimentos também não fica fora da temática gamer. Com sanduíches e bebidas cheias de referência, é fácil encantar e surpreender quem conhece e acompanha alguns dos principais jogos de eSports, como o popular League of Legends.

O local virou uma boa alternativa, principalmente perto das festas de Natal, com as férias de final de ano chegando. Além disso, o restaurante segue uma tendência que vem crescendo no Brasil e no mundo. Localizada na Avenida Silva Jardim, número 1145 , a Cooldown é uma hamburgueria que vale a visita, seja aos amantes dos games e eSports, ou então para os curiosos por novidades na capital.

O eSports cresce no mercado brasileiro

A ideia do restaurante não surgiu do nada. O mercado gamer chegou no Brasil e tem esquentado a economia e o cenário das novas tecnologias. Segundo pesquisa realizada pela Newzoo, o Brasil é o terceiro maior mercado do mundo. Cerca de 75,5% dos brasileiros jogam algum tipo de jogo eletrônico. Ou seja, o mercado em potencial é grande e tem ganhado espaço.

Outro dado que chama atenção é da audiência conseguida em 2017. O Brasil tem 17,7 milhões de pessoas assistindo aos campeonatos de eSports, ou seja, quase 10% da população brasileira. Enquanto quase 10 milhões são espectadores mais ocasionais, quase oito milhões afirmaram sempre acompanharem e também jogarem os jogos de eSports.

Isso é fácil de ser visto com algumas equipes profissionais brasileira com grandes patrocinadores internacionais. É o caso da MIBR, por exemplo, que joga profissionalmente o game Counter-Strike:Global Offensive. Após um tempo inativo, o time brasileiro foi reativado com a ajuda da Mountain Dew, empresa de refrigerantes dos EUA, da Betway, plataforma online de apostas para eSports e esportes tradicionais, e também da Razer, fabricante de periféricos para o cenário gamer. Todas estrangeiras, mas que acreditam no mercado nacional.

Outro exemplo é com a KaBuM! eSports, que disputa torneios de League of Legends. O time, que possui no nome uma das maiores lojas brasileiras de computadores e laptops, também tem acordos com a Acer e a AMD, duas gigantes do cenário de tecnologia no mundo. Alguns clubes tradicionais, como o Flamengo e o Santos, também começaram a apostar no cenário de games.

Curitiba tem força no cenário gamer

Além de contar com o restaurante temático, a cidade de Curitiba já foi sede de alguns torneios oficiais. Em 2017, a ESL, empresa responsável por alguns campeonatos ao redor do mundo, realizou eliminatórias com vagas em torneios maiores. A premiação ultrapassava os 10 mil reais, principalmente nos jogos mais populares.

Uma equipe em destaque, e 100% de Curitiba, é a Azure Jays, que joga profissionalmente League of Legends e tem algum destaque no cenário nacional. O apoio do time vem pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, que além de dar ajuda financeira também é o celeiro dos jogadores. Com isso, a cidade parece cada vez mais atualizada com as novas tecnologias, e também as novas culturas que essa mudança projeta, seja nos esportes ou então no entretenimento.