e pare para louvar o que já conquistou e tudo aquilo que recebeu sem mesmo pedir. Depois, alegre, volte ao bom trabalho de todo dia.– Agradeça a vida, o ar que respiras, a água que sacia tua sede, todo o afeto que recebes e já recebestes. Nem precisa esquecer os desalentos, pois eles atingem a todos indiscriminadamente.

Olhe o lindo horizonte ao seu dispor. O canto dos pássaros, as músicas que o levam à emoção, os momentos de intimidade com a pessoa amada. Reviva as tantas brisas que acalentaram o calor de seu corpo; o brilho do sol, iluminando seu dia. Por mais nuvens que se interponham entre ele e a terra, sua luz sempre se faz presente. Todo dia!

Bem, agora podes voltar aos compromissos, ao trabalho, à estafante ou a gloriosa tarefa de lutar para manter o sustento seu e dos seus. Labutar novamente para crescer, para ter ainda mais conforto e mais alegrias. Alegrias sempre.

Nascemos chorando por ter saído do conforto do ventre materno para enfrentar as incertezas de uma existência a qual nos agarramos como se fosse ela, e apenas ela, o centro de tudo. Insistimos em destacar o mal em detrimento do bem desde o nascimento. Este é o constante, esta é a graça do viver.

Lembre! – Esta vida efêmera nada mais é que um sopro comparado à eternidade. Eternidade que foge de nossa consciência quando nos apegamos a ela como a coisa mais importante de nossa passagem pela terra. E fazemos isto conscientes de nossa condição passageira.

Pare.

…respire e sinta a vida entrando em você.

Expire e continue sentido a vida em você, vida que vai deixar de existir, de maneira tranquila ou trágica, estressada ou relaxada; exatamente no momento em que exalares por completo o ar de seu pulmão, com o último respiro. Seja suspirando tristeza, seja transpirando alegria.

Até lá, até chegar este momento, relaxe e sinta toda emoção de bem viver, de continuar respirando este ar, o simples e invisível ar que garante cada segundo de nossa lucidez. Respeite seu semelhante, faça o bem e se prepare para este momento sublime de passar para uma nova vida. Até lá, cada batida de seu coração deve ser sentida como mais uma oportunidade, dentro deste constante preparar para a eternidade ao lado do Pai.

…agora, mais uma vez respire e sinta seu coração que continua batendo.

Assim como o sol, a cada dia que amanhece leve a luz de seu interior a todos que o cercam; esta luz é a presença divina em você, divida-a com seus semelhantes.

Jornalista Humberto Schvabe