Este ano, completamos 25 anos sem conseguirmos comemorar recebendo os amigos e todos que fazem parte da história da Gazeta do Bairro. Vamos manter a calma e racionalidade para permanecer por aqui. Esperar o fim da pandemia. 

Com edições mensais, quinzenais e semanais, tivemos grandes experiências. A principal marca, destaco com orgulho, foi a constância, uma edição seguida de outra, sem uma única falha, mês após mês, de janeiro a dezembro.

Hoje faço questão de lembrar detalhes do editorial da edição 210, de dezembro de 2009, onde fui buscar uma matéria a pedido de um leitor e, casualmente, parei pra ler. Alí já ficava clara a visão longeva deste periódico. Veja:

“Chegando ao 14′ ano de circulação, a Gazeta do Bairro pode falar com orgulho desta trajetória, onde tivemos percalços, é claro, mas muitas realizações. E isto se deu 

pela nossa perseverança e em especial pelo amor com que esta equipe, esta família, editou e distribuiu, religiosamente, cada uma das 210 edições publicadas até o dia de hoje. 

Mesmo que tenhamos enfrentado diretamente o trabalho do dia a dia para colocar na rua cada uma destas edições, temos consciência da importância da comunidade, da resposta de cada leitor ao conteúdo do jornal, seja com críticas seja com elogios e sugestões, para o aprimoramento de nosso trabalho. 

Ao comentar este trajeto, temos de registrar a fundamental parceria dos anunciantes, da região e também de outras partes da cidade, do estado e até mesmo de outros esta- 

dos. Nosso agradecimento especial aos empresários da região que acreditaram no jornal, muitos fiéis por mais de 10, 12 anos, que deram a sustentação necessária para este projeto. 

Foi graças à permanência destes anunciantes que conseguimos enfrentar os momentos mais difíceis. Mais que a presença dentro de cada edição, vocês ocupam um lugar muito especial em nossos corações. 

….prosseguirmos na busca do desenvolvimento de nossa região. Vamos manter este caminho responsável e idôneo que nos conduziu até aqui , levando informação, entretenimento dentro deste dom de Deus, a vida, com nossa força física e intelectual para o bem comum.”