Em última coluna do ano de 2021, vamos informar a respeito de dois assuntos, escolhidos para atendimento à população que mais necessita.

VOCÊ SABIA QUE

Em razão de existir a possibilidade de indenização por danos morais decorrentes de brigas e confusões em processos de família, criou-se o conceito de DIVÓRCIO COM RESPEITO, idealizado pela Comissão de Advocacia Colaborativa do Conselho Federal da OAB e Instituto Brasileiro de Práticas Colaborativas.

Aconteceu em julgamento de Recurso Especial, no mês de novembro perante o Superior Tribunal de Justiça que “reconheceu o sofrimento de ex-esposa e de filhos em razão de mau comportamento e condutas inadequadas por parte do ex marido e genitor, que causaram escândalos diuturnamente em locais frequentados pela família, perseguindo e ameaçando os mesmos”. O ex marido foi condenado ao pagamento pecuniário, havendo possibilidade de continuidade de sanções na esfera criminal. Portanto, sosseguem.

Outro julgamento recente ocorreu junto ao Superior Tribunal Federal, o qual prorrogou os prazos de suspensão de processos de DESPEJO e DESOCUPAÇÃO em razão da Pandemia. O Relator do caso, Ministro Luiz Roberto Barroso, concedeu a medida de prorrogação até 31 de março de 2022, sendo a decisão válida tanto para imóveis urbanos quanto rurais, estabelecendo parâmetros favoráveis, principalmente à população de baixa renda, que sabemos ser mais vulneráveis em tempos de crise. Lembrando, sempre, que a Pandemia não terminou.

NOSTALGIA

Em tempo de festa, vamos relembrar “alguns” bares famosos em Curitiba, e que, em final de ano, fizeram a alegria de muitos frequentadores, se bem que, não apenas em final de ano, mas acredito, o ano todo.

No bairro das Mercês, o Bar Botafogo, da família Mazzaroto, atualmente fechado, reinou por mais de 60 (sessenta) anos na região, sempre com exclusiva freguesia, contou com muitas histórias narradas por seu valoroso “soldado”, Hugo Weber Junior.

No bairro Água Verde/Vila Isabel, tivemos o Bar do Passarinho, ex ponteiro esquerdo do extinto clube de futebol Ferroviário e funcionário público gentil, onde se aposentou, tornou-se famoso pela batidinha de maracujá com refrigerante Fanta.

O bairro Bacacheri abriga o Bar do Edmundo, ainda em pleno funcionamento, onde se come o famoso buchinho à milanesa com limão rosa, plantado e colhido do pé pelo proprietário.

No centro da cidade, alguns famosos, como o Bar Cometa que serve pão com pernil e queijo e, acredito, o melhor chopp da cidade; o Bar do Cachorro, o qual dispensa apresentações, apelidando os sanduiches com nome de frequentadores famosos; e o centenário Bar Stuart, hoje com mais de 112 anos, capitaneado pelo famoso “ligeirinho”, já falecido, e seu primo que, se não estou enganado, ainda está lá no balcão. Com relação a este último, o tempo fala por si, talvez vale ressaltar que deve ter salvado ou destruído milhares casamentos na cidade, com a sua batida de limão gelada.

Ainda, existem vários merecedores da nossa coluna, mas, seria interessante cada leitor eleger o seu bar preferido e enviar ao respeitável Jornal. Quem sabe o editor faz uma matéria sobre o festejado tema.

A todos, desejamos um final de ano com juízo, sem dirigir após a ingestão de bebidas alcoólicas. Até breve.