Cerca de 50 milhões de pessoas em todo mundo são portadoras de demência, e segundo dados recentes da Alzheimer´s Disease International, a cada 3 segundos uma pessoa desenvolve demência no mundo.

Setembro é o mês dedicado a falar sobre doenças relacionadas a saúde do cérebro, como depressão e o mal de Alzheimer. Colocar esses assuntos em pauta é afastar o fantasma do negacionismo e desconhecimento, abrindo espaço para o diálogo, otimizando o diagnóstico e o tratamento. Para contribuir com a discussão, o Método Supera estará realizando nesse período uma série de lives gratuitas nas redes sociais do grupo de escolas franqueadas, com especialistas da área médica trazendo a temática “Despertando a Sociedade para a Saúde do cérebro”.

Afinal, a Doença de Alzheimer é um dos principais desafios globais em termos de saúde, abarcando cerca de 50 milhões de pessoas atualmente nesta condição. Com o envelhecimento da população, esse número deve aumentar consideravelmente. Entretanto, há evidências da existência de fatores de risco para demência, o que mostra que estilo de vida e outras intervenções, como a ginástica para o cérebro, podem ser implementadas de forma eficaz, retardando o início e reduzindo o número futuro de pessoas com demência.

O Adriano Saldanha, diretor franqueado da Supera Ginástica para o Cérebro, engenheiro, que tem se especializado em neurociência, diz que assim como a ginástica para o corpo evita certos problemas e mantém a pessoa em forma, o exercício para o cérebro também é fundamental. “Assim o declínio cognitivo passa a ser mais lento, possibilitando uma vida mais ativa, mesmo na velhice. Por isso, o que a gente defende não é só a postergação do Alzheimer, mas a boa saúde mental para evitar que esse tipo de problema apareça mais cedo do que deveria.”

No fim das contas, o saldo é positivo para toda a família, porque além de ser uma atividade de treino cognitivo, é também um lugar onde as pessoas criam um forte senso de comunidade e pertencimento, se desenvolvendo a partir do cuidado e encantamento. De acordo com Saldanha, os alunos se sentem mais jovens, passam a se relacionar melhor com os familiares e se sentem mais criativos e ativos no trabalho, quando ainda o fazem. O balanço final é de mais atenção e ânimo e menos estresse.

É possível desenvolver um cérebro mais resiliente

Ainda que as doenças neurológicas não tenham cura, é possível desenvolver uma “reserva neurológica”, ou seja, fazer uma ginástica para que o cérebro fique mais resistente a possíveis problemas. E quem explica como isso é possível é Adriano Saldanha, que atende mais de 80 pessoas com mais de 60 anos. “Atividades que estimulam o cérebro, como jogos, desafios e incentivo a memória e concentração, trazem benefícios para a vida das pessoas idosas, tanto para dificultar o aparecimento de doenças quanto para ajudar no cotidiano, fazendo a pessoa ser mais ativa e atenta”, explica. Adriano tem duas escolas da franquia Supera em Curitiba, situada nos bairros Juvevê e Rebouças e diz que eles estão preparados para atender com total segurança as pessoas que quiserem mais informações, presencialmente ou à distância. “Desenvolvemos inúmeras ações para estimular o cérebro e podemos, inclusive, oferecer uma aula grátis, para que as pessoas entendam como é prazeroso e divertido estimular o cérebro e afastar doenças como o Alzheimer”, diz Adriano Saldanha.

Despertando a Sociedade para a Saúde do Cérebro

O objetivo da ação é informar sobre todas as particularidades que envolvem a doença de Alzheimer, que já acomete mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo. Os responsáveis por conduzir os debates são profissionais neurologistas, neuropsicólogos, gerontólogos e gerontologistas.

Os interessados em participar das transmissões, conferir a programação do evento, e ter acesso às gravações das palestras no pós-evento, devem realizar a sua inscrição pelo link: https://mautic.superajuveve.com.br/despertando-a-sociedade-para-a-saude-do-cerebro

A primeira transmissão da série de lives acontecerá no dia 2 de setembro, às 19h30, e terá como tema “Entendendo a Doença de Alzheimer em seus aspectos, seu tratamento e os custos relacionados aos cuidados nas demências”, com Profa. Dra. Jerusa Smid e Profa. Dra. Ceres Ferreti”. Todas as transmissões serão ao vivo e poderão ser assistidas na página do Facebook do Método Supera e em seu canal do Youtube.

Sobre o SUPERA

O Método Supera é uma rede de escolas que promove a prática de exercícios de ginástica para o cérebro que garantem o desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais, entregando performance e qualidade de vida aos alunos. A ginástica cerebral oferecida pelo Método Supera pode e deve ser praticada em todas as idades.

As aulas do Método Supera acontecem uma vez por semana e têm duração de duas horas. Durante o período de aprendizado os alunos desenvolvem atividades lúdicas específicas que estimulam o exercício do cérebro, como dinâmicas que se utilizam de jogos de tabuleiros e cartas, além de livros com exercícios para a mente. A interação estimula o lado cognitivo, psicossocial e de relacionamento dos alunos entre si e com as pessoas.