Nem a placa ameaçando multa intimida os moradores para não jogarem lixo no local.

  Este trilho desemboca em um beco mais estreito ainda.

  

Fernanda Corelux

A moradora Fernanda Corelux, da Alameda Nossa Senhora do Sagrado Coração, no Pinheirinho, apelou pra a Gazeta do Bairro buscando ajuda para o mato que está tomando conta ao lado de sua casa.

Além do mato, sofre com constantes “visitas” de pessoas atirando lixo no local, ao lado de sua casa.
Afirma que já entrou em contato com o 156, mas não tem conseguido uma solução definitiva. Primeiro pela irresponsabilidade de quem joga lixo e depois pela dificuldade de manter o local limpo e sem mato.
Ao que consta, o terreno é uma continuação da Rua Joaquim Ferreira Belo e como não tem como a rua seguir adiante, ela fica entre uma rua sem saída e sem serventia e um terreno abandonado.
A única utilidade do local é como uma passagem para quem mora na Vila Pluma e tem coragem de passar por aquelas ruelas escuras.