O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização europeia que se desenvolveu entre 1300 e 1650, sobretudo no século XVI. Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram nesse período muitos progressos e incontáveis realizações no campo das artes, da literatura e das ciências, que superaram a herança clássica. O ideal do humanismo foi sem dúvida o móvel desse progresso e tornou-se o próprio espírito do Renascimento. Num sentido amplo, esse ideal pode ser entendido como a valorização do homem (Humanismo) e da natureza, em oposição ao divino e ao sobrenatural, conceitos que haviam impregnado a cultura da Idade Média. Ou seja, a partir do Renascimento, o ser humano passou a ser o grande foco das preocupações da vida e do imaginário dos artistas. O retrato, por exemplo, tornou-se um dos gêneros mais populares da pintura, utilizado, na ausência da fotografia, para o registro de pessoas e famílias nobres e burguesas.


Esta obra foi considerada uma das mais famosa e importante do Renascimento. Executada entre os anos (1495-1497), por um dos seus maiores representantes, Leonardo da Vinci.
Título: “A Última Ceia”. Técnica: Afresco, é uma técnica mista com predominância da têmpera e óleo sobre duas camadas de preparação de gesso aplicadas sobre reboco (estuque). Dimensão: 4,50m x 8,80m.
Obra pintada no Refeitório da Igreja Santa Maria da Graça, em Milão-Itália.

Dentro desse universo de figurações, o auto-retrato se estabelece como um subgênero repleto de peculiaridades. Nele, o artista se retrata e se expressa, numa tentativa de leitura e transmissão de suas características físicas e sua interioridade emocional. Ali também, na maneira como utiliza cores e pinceladas, no modo como desenha suas próprias formas e lhes atribui volumes e texturas, o artista constrói seus próprios comentários sobre a natureza e os atributos da arte.

Uma das duas obras do artista Fernando Rosa, que está exposta no Centro Cultural Bunkamura, cidade Oizumi, Japão, até o dia 29 Jun e, depois permanecerá na Eki Naka Gallery, cidade de Ota-Shi, estado Gunma-Ken, Japão, de 5 à 13 Julho 2014. Título: “Nuances Delirantes da Razão III”. Técnica: hidrográfica, esferográfica e marcador permanente sobre papel. Dimensão: 50cm x 66cm. Ano: 2014.