Novo livro de Sidney Sheldon continua a história da heroína Tracy Whitney, de “Se houver amanhã”

Um dos autores mais bem sucedidos do mundo, Sidney Sheldon já vendeu mais de 300 milhões de exemplares de seus livros, publicados em dezenas de idiomas. O escritor morreu em 2007, mas seus escritos inacabados continuam ganhando vida com a ajuda de Tilly Bagshawe, escritora que emula com habilidade o estilo inconfundível de Sheldon.

Em novembro, chega às livrarias pela Record “Um amanhã de vingança”, terceiro livro da série protagonizada pela heroína Tracy Whitney. A personagem apareceu pela primeira vez em “Se houver amanhã”, um dos grandes sucessos do autor, lançado em 1985. Em 2015, chegou ao Brasil “Em busca de um novo amanhã”, escrito conjuntamente por Tilly. Agora, a famosa trapaceira que decidiu deixar os crimes para trás vai se envolver em uma perseguição perigosa.

Na trama, o Grupo 99 é uma organização radical de hackers criada na Europa com o objetivo de atacar os grandes monopólios comerciais. Incensados por boa parte da população e adorados pelos jovens, eles vazam documentos e atacam sistemas de agências governamentais e grandes empresas de petróleo, por exemplo. Até o dia em que sequestram um militar galês, o matam com um tiro na cabeça e divulgam o vídeo na internet.

A mudança de perfil do grupo intriga as autoridades, e as agências de inteligência dos EUA e da Inglaterra vão se juntar para caçar os – agora – terroristas. Eles desconfiam que quem está por trás dessa virada é a misteriosa Althea, uma mulher poderosa e muito perigosa. O que ninguém sabe que é Althea tem uma ligação com Daniel Cooper, o corrupto ex-agente do FBI que Tracy ajudou a capturar na trama do livro anterior. Althea tem um objetivo bem específico com relação a Tracy, e acaba fazendo com que as autoridades convoquem a protagonista para ajudar na investigação.

Tracy, a princípio, recusa. Sua decisão de viver de forma pacata ao lado do filho é definitiva. Mas, quando uma tragédia se abate sobre sua vida, ela decide agir. Principalmente porque tudo aponta Althea como a responsável. A tarefa de Tracy é grandiosa e envolve as vidas de muita gente ao redor do mundo. Para dificultar, ela vai ter que lidar com pistas erradas e falsos aliados. Mas, sem nada mais a perder, ela vai colocar em prática tudo que aprendeu em sua trajetória como golpista.

 

TRECHO:

“O capitão Bob Daley, dos Reais Fuzileiros Galeses, encarou a câmera e proferiu o breve discurso que havia recebido na noite anterior. Estava cansado e com frio, e não entendia por que seus seqüestradores mantinham aquela farsa. Eles não eram idiotas. Provavelmente sabiam que as exigências feitas ao governo britânico eram absurdas.

Desmantelar o Banco da Inglaterra.

Confiscar os ativos de todos os cidadãos britânicos com patrimônio líquido superior a 1 milhão de libras.

Fechar a bolsa de valores.

Ninguém no Grupo 99 – a organização radical de esquerda que sequestrara Bob Daley em uma rua de Atenas – acreditava de fato que essas coisas iriam acontecer. O seqüestro de Bob e o discurso que ele estava proferindo claramente não passavam de um grande golpe publicitário. Em questão de semanas, os seqüestradores o libertariam e pensariam em outra maneira de estampar manchetes internacionais. Se dava para dizer alguma coisa sobre os membros do Grupo 99, era que eles haviam se tornado mestres na arte da autopromoção.”

 

Sidney Sheldon é um dos autores mais vendidos do mundo, e está no Guiness World Records como um dos mais traduzidos. É também o único escritor agraciado com um Oscar, um Tony e um Edgar. Escreveu sucessos como “O reverso da medalha”, “As areias do tempo” e “Nada dura para sempre”, entre outros. Morreu em 2007.

Tilly Bagshawe é autora de “A senhora do jogo”, best-seller do New York Times e continuação de “O reverso da medalha”, e dos romances “Depois da escuridão”, “Anjo da escuridão” e “Sombras de um verão”. Ela e a família dividem o tempo entre Los Angeles e Londres.