Alunos do curso de Moda das Faculdades da Indústria fizeram uma vaquinha para comprar os materiais e já começaram a confecção das roupas que serão doadas ao Hospital do Trabalhador e UPAs de Curitiba

Roupas hospitalares precisam de modelagem e tecidos específicos para facilitar o exercício da profissão e a higienização – especialmente com a crise sanitária que estamos vivendo relacionada à COVID-19. Pensando nisso, estudantes da graduação em Design de Moda das Faculdades da Indústrias, do Senai no Paraná, desenvolveram uma campanha para arrecadar fundos e confeccionar uniformes hospitalares para serem doados. “Começamos a perceber a demanda de profissionais da saúde que estão lutando na linha de frente contra o novo coronavírus por mais roupas hospitalares. Assim, tivemos a iniciativa de produzir roupas de algodão, resistentes, ergonômicas e que podem ser esterilizadas nos hospitais”, conta Leandro Tomazoni, um dos alunos do grupo.

A ideia surgiu na sala de aula, antes mesmo de começarem o isolamento. Com os colegas Fernanda Caetano, Cris Kade e Dihego Marques da Silva, Leandro criou uma vaquinha online para arrecadar os valores necessários para os materiais, como o próprio tecido, fios, linhas e elásticos. A arrecadação digital bateu a meta em uma semana. As compras já foram feitas, os moldes produzidos e a expectativa é entregar os mais de 60 conjuntos de calças e aventais cirúrgicos até o dia 10 de abril. “As peças serão destinadas aos hospitais e UPAs de Curitiba que estão recebendo os pacientes suspeitos de infecção pela COVID-19, visando o conforto e a proteção dos nossos profissionais da área da saúde”, explica Leandro.

Para o professor e coordenador do curso do Senai do Paraná, Edson Korner, a iniciativa é motivo de muito orgulho. “A educação é capaz de transformar realidades e romper barreiras, e o design que permite que as pessoas melhorem suas condições de vida. Estimulando curiosidade e a criatividade fazemos que os futuros designers de moda encontrem respostas para os problemas da sociedade através do desenvolvimento de novos produtos, e foi o que aconteceu com esse projeto”, afirma. Leandro concorda: “Fazer design é isso: ser criativo e aproveitar as oportunidades para fazer o bem sempre!”.