A chuva que atingiu a cidade durante a tarde desta quarta-feira (10/6) alcançou 56 milímetros, segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). Mesmo assim, a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil reforça a necessidade de a população continuar economizando água. 

“Cuidados com o consumo de água devem ser mantidos, pois as chuvas recentes ainda foram brandas e não são suficientes para que os reservatórios restabeleçam a normalidade”, aponta o coordenador da Defesa Civil, inspetor João Batista dos Santos.

A água deve ser usada prioritariamente na higiene pessoal e alimentação, enquanto limpeza de calçada e jardins devem ser feitas com bom senso e sem desperdício.

Segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), o Estado passa pela pior estiagem em mais de 20 anos e Curitiba tem registrado baixa quantidade de chuva, chegando a uma redução de 43% quando se compara a série histórica.

Atendimentos pontuais

Durante esta tarde, os atendimentos das equipes da Prefeitura foram para situações pontuais de alagamento, destelhamento e queda de árvore. Não houve registro de vítimas, nem desabrigados ou desalojados.

“As pancadas de chuva que caíram entre 13h e 15h atingiram com mais intensidade os bairros Cajuru, Lindóia, Bairro Novo, Guabirotuba, Boqueirão, Bairro Alto,Pilarzinho, Sítio Cercado e Boa Vista”, informa o coordenador da Defesa Civil.

Após solicitações recebidas pelos telefones de emergência 153 (Guarda Municipal) e 199 (Defesa Civil), guardas fizeram a entrega de lona para atender residências afetadas pela chuva do início da tarde desta quarta-feira (10/6), nos bairros Cajuru, Sítio Cercado e Boqueirão.

Foram quatro registros de alagamentos, nos bairros Lindóia, Guabirotuba, Bairro Alto e Pilarzinho. Também foi registrada a queda de uma árvore de pequeno porte no bairro Alto Boqueirão, além do risco de uma queda de árvore no Água Verde.

Além da Defesa Civil e da Guarda Municipal, equipes da Fundação de Ação Social (FAS), da Superintendência de Trânsito (Setran) e do Meio Ambiente mantiveram-se mobilizadas para atender a população. 

Assistência social

Quatro unidades da Fundação de Ação Social (FAS) registraram pequenos problemas em função da forte chuva, mas sem prejuízo para o atendimento. Na Casa do Piá 1, unidade de acolhimento institucional para adolescentes, no bairro Prado Velho, houve infiltração de água na área administrativa e na lavanderia.

A mesma ocorrência foi registrada no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Barigui, na Regional CIC.

A Unidade de Acolhimento Institucional (UAI) Julia da Costa, que atende pessoas em situação de rua, no bairro Campina do Siqueira, teve o subsolo alagado. Já a UAI Campina, que também acolhe a população de rua, no Boqueirão, registrou goteiras em alguns quartos.  

Todos os serviços continuam sendo ofertados e os problemas foram informados ao departamento de engenharia para adequações.  

Central 156

O cidadão que precisar comunicar a Prefeitura sobre a queda de árvores deve utilizar o telefone 156 da Central de Atendimento ao Cidadão, pelo site (www.central156.org.br) ou pelo aplicativo do serviço. O atendimento é feito por ordem de chamada e também de acordo com a gravidade da situação relatada.

Evite sair de casa

Enquanto estiver chovendo, a orientação da Defesa Civil é que se evite sair de casa. Se a pessoa já estiver na rua, deve evitar se abrigar embaixo de árvores e de estruturas metálicas. Debaixo de chuva, o motorista deve redobrar a atenção e reduzir a velocidade.

A Defesa Civil registra as ocorrências que chegam ao município pelo telefone de emergência 199 e, também, pelo 156 (Central de Atendimento ao Cidadão) e pelo 153 (Centro de Operações da Guarda Municipal).

Outras situações decorrentes de chuvas ou temporais podem ser atendidas pelo Corpo de Bombeiros (193) e pela Copel.