Tempo – Limite – Atraso…
Esses fatores nos levam a pensar que devemos viver apressados, que a rapidez é importante, mas isso é prejudicial à reflexão e à oração. Já outras pessoas pensam que para mostrar que estamos ativos e cheios de vigor “não devemos fazer as coisas devagar”.
Lembro-me de que no mercado publicitário, no qual trabalhei por mais de 15 anos, quase no final do expediente começava o corre-corre para entregar os anúncios e vídeos que tinham de chegar aos jornais, estações de rádios e canais de televisão.
Em algumas ocasiões, o trabalho apresentava obstáculos característicos da ansiedade e do descontrole. O estresse e a tensão não deixavam de estar presentes. Com frequência, o chefe dizia: “Preciso disso para ontem”.
A velocidade excessiva muitas vezes nos impede de parar para pensar. Mas relógio não tem poder para governar a vida.
Carl Honoré, em sua reflexão sobre a importância da lentidão, afirma: “A lentidão nos devolve a tranquilidade e o ritmo pausado que nos permitem ser mais criativos no trabalho, ter mais saúde, mais satisfação e mais contato com outras pessoas”.
Escapar da ditadura do relógio não significa que sejamos irresponsáveis no cumprimento do trabalho, mas sim que podemos encontrar o equilíbrio que contribui para a saúde.
Considero correto o conceito que Mary Baker Eddy revela em seu livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, a respeito do que significa contemplar um dia livre de limitações: “Os objetos do tempo e dos sentidos desaparecem na iluminação da compreensão espiritual, e a Mente mede o tempo de acordo com o bem que se desdobra”.
Não ser impulsivo ajuda a recuperar um ritmo normal de vida. Priorizar a qualidade e não a quantidade de horas que dedicamos a uma tarefa e desfrutar de tudo o que fazemos influi na saúde mental.
Mesmo responsáveis, o “diminuir a marcha” nos torna livres, atentos e no controle de tudo.
A serenidade, a calma, a reflexão possibilitam enxergar a vida de um ponto de vista diferente. Comprovar esse fato pode ser o começo de uma experiência feliz e cheia de alegria.

Elizabeth Santángelo de Gastaldi é do Comitê de Publicação da Ciência Cristã na Argentina. Email: [email protected]