A falta de definição das regras na telefonia, que deixam muitos usuários sem solução para seus problemas com as operadoras, desta vez atingiu “os que levam vantagem”.

No Mato Grosso do Sul, uma lei estadual exige desconto de 50% nas tarifas de telefone celular “aos cidadãos portadores de distúrbios na fluência e temporalização da fala”; ou seja, os gagos. Pagam metade da conta por que levam mais tempo para falar. É coisa de lei de louco mesmo! Mas…

Apelidada como “Lei do Gago”, é claro, está sendo questionada na Justiça que não sabem como fiscalizar se tem gago no telefone.

Pela lei, de iniciativa do deputado Diogo Tita, quem “apresentar avaliação efetuada por fonoaudiólogo especializado em fluência, comprovando a sua condição”, tem o desconto.

A legislação também determina que as operadoras devam instalar nos telefones “bloqueadores visando a não utilização indevida”. As empresas dizem ser impossível cumprir esta lei.

Enquanto a Associação Brasileira de Gagueira aprova a legislação em página na internet, que diz existirem dois milhões de gagos, sendo 20 mil no Mato Grosso do Sul.

Mesmo com todo seu poder,  as operadoras estão assustadinhas… 

COITADAS!