Checando denúncia de que mais de 500 agentes comunitários de Curitiba estavam sendo demitidos pela prefeitura de Curitiba a Gazeta do Bairro foi em busca do esclarecimento.

Assim entramos em contato com o presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde do Paraná –Sindacs, Luiz Carlos de Lara que deu suas explicações e falou das ações do Sindicado. Ao mesmo tempo entramos em contato com a Comunicação Social da prefeitura que também nos passou as informações oficiais.

Na verdade, mais da metade do contingente de 936 pessoas que fazem este maravilhoso e dedicado trabalho de Agente Comunitária, em sua maioria mulheres, receberam hoje, dia 24 de agosto o aviso de desligamento como funcionários do Instituto Pró Cidadania – IPCC-, em torno de 500 pessoas que, diante da crise entram no processo de aviso prévio.

O Sindicato entrou com medida cautelar, que parece não vai repercutir, uma vez que estas pessoas não foram contratadas dentro um processo de licitação devidamente regulamentado. Então, segundo o presidente, ao sindicato cabe atuar junto à justiça tentando preservar o emprego dos associados.

Por sua vez, a administração municipal, assim que o IPCC dispensou todas estas pessoas, se comprometeu a readmitir de imediato todas as pessoas que tenham toda a documentação, bem como exames exigidos pelo Instituto, em dia. Informaram-nos também que este contingente é de 203 pessoas. As demais serão readmitidas até o final do ano.

Estas são as informações que levantamos hoje.

Outros detalhes ou mudança destas informações estaremos postando aqui no site da Gazeta do Bairro e em nossas redes sociais.