Grandes empreendimentos do programa habitacional do município estão mudando o panorama do bairro Ganchinho, na Regional Bairro Novo. Na imagem o Residencial Parque Iguaçú.

O ar ainda interiorano que caracteriza o bairro do Ganchinho, as poucos está indo embora ao mesmo tempo em que chegam os novos loteamentos e diversos empreendimentos da COHAB.
Só a Companhia de Habitação Popular (Cohab) deve entregar até o final do ano, mais 2.796 moradias em dois loteamentos nas proximidades do Contorno Leste. Com uma população de pouco mais de oito mil habitantes, deve receber cerca de 10 mil novos moradores, em 11 novos conjuntos residenciais.
Ainda com muito verde, bosques e riachos, o Ganchinho está perdendo suas características de bairro pacato e de pouco movimento.
A expectativa da duplicação da população já vem acontecendo há algum tempo, com o surgimento dos novos loteamentos e é parte de um processo que já vem ocorrendo desde 2000 e 2010. Segundo o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), neste período o Ganchinho já registrou a quarta maior taxa de crescimento populacional entre os bairros da capital – 52%. Novas ruas sendo abertas e asfaltadas dão o ritmo de desenvolvimento do novo Ganchinho.
Quem chega se impressiona com o crescimento que é visto com desconfiança pelos moradores tradicionais, receosos sobre o futuro do bairro, com o aumento de 10 mil novos moradores.

Infraestrutura – O aumento da população no Ganchinho exige novos investimentos públicos em saúde, educação, transporte e oferta de serviços públicos.
Para atender os novos moradores, a prefeitura informa que a região receberá duas escolas (uma municipal e outra estadual), uma creche e mais uma unidade de saúde. Além disso, linhas de ônibus serão estendidas. Hoje o bairro conta com dois centros municipais de educação integral, duas escolas de 1.º ao 5.º ano e um posto de saúde.