Para as pessoas que moram próximas do Córrego Jardim Natália, no Cajuru, a esperança de não ter que conviver com o risco de enchentes foi nutrida e fortalecida nesta sexta-feira (6/8). Onde a Rua Fraternidade encontra com a Rua Manacá, ao lado do curso de água, o prefeito Rafael Greca anunciou a conclusão da obra de macrodrenagem que contém as margens, disciplina a vazão e minimiza o potencial destrutivo das cheias.

Coordenada pelo Departamento de Pontes e Drenagem da Secretaria Municipal de Obras Públicas, a intervenção integra o programa Curitiba Contra Cheias e abrangeu 500 metros do leito do córrego, entre a BR-227 e a Rua Egito. Foi alargado o canal, implantados muros de gabião e quatro galerias celulares, que além de ampliar em três vezes a capacidade de vazão também servem para deter água e quebrar a velocidade da correnteza.  

“Inauguramos os 500 metros de córrego encamisado com gabiões para evitar erosão. A ideia dessa contenção lateral é também livrar o rio das ocupações irregulares sobre sua área de domínio e, ao mesmo tempo, possibilitar que o Cajuru se torne uma região completamente urbanizada. Toda ocupação irregular em cima dos rios acaba contribuindo para que ocorram enchentes”, disse Rafael Greca. 

O gabião é como um muro de arrimo e é utilizado para estabilizar encostas e taludes. Feita com malha de fios de aço e preenchida com pedras, a estrutura é bastante resistente, permeável e de baixo impacto ambiental.

Investimento

Os serviços no Córrego Jardim Natália, de acordo com o secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Rodrigues, que acompanhou o prefeito Rafael Greca na entrega da obra, contaram com o investimento de R$ 3,3 milhões. Os recursos foram repassados à Prefeitura pelo governo federal por meio do Programa de Aceleração do Crescmento (PAC). 

“O conjunto formado pelos muros de gabião e pelas galerias celulares, que substituíram as antigas galerias tubulares subdimensionadas, dão robustez ao sistema de drenagem da região. O perigo oferecido pelo extravasamento do córrego agora está mais controlado”, explicou Rodrigo Rodrigues.

Além da intervenção de macrodrenagem, nas margens do rio foram plantadas grama e mudas de árvores provenientes do Horto Municipal de Curitiba. No total, 300 ariticuns, guabirobas, araçás, ingás feijão, pitangas, guabijus, uvaias, ingás banana, cerejas, ipês e extremosas agora crescem e, no futuro oferecerão sombra, ar puro e frutas aos moradores. 

Também foi construída uma quadra de areia na área e trechos das ruas que estão no caminho do Córrego Jardim Natália – Miguel Caluf, João Gribogi, Luiz França, Manacá, Plátanos e Egito – ganharam novo pavimento asfáltico e, para os amantes dos pedais, uma ciclovia passou a fazer parte da região.

Obra aprovada

O aposentado Sebastião Antônio Pereira mora há 20 anos na região do Córrego Jardim Natália e comparou o passado com o presente do local. 

“Está bonito. Era muito feio. Melhorou muito o rio e ao redor os espaços de convivência agora podem ser mais aproveitados pelas famílias”, apontou Sebastião Antônio Pereira.

Aldo de Araújo Prado, que se fixou no bairro há 25 anos, avaliou que a obra organizou a área e que as crianças terão mais opções para realizar suas brincadeiras. 

“Isso aqui era uma bagunça e agora está excelente. A expectativa é de uma vida melhor, inclusive para a piazada que terá mais espaço para brincar”, opinou Aldo de Araújo Prado.

A inauguração da obra de macrodrenagem também contou com a presença dos vereadores Beto Moraes, João da 5 Irmãos e Serginho do Posto, do diretor do Departamento de Pontes e Drenagem da Secretaria Municipal de Obras Públicas, Augusto Meyer Neto, do engenheiro do Departamento de Pontes e Drenagem responsável pela fiscalização da intervenção, Gilmar Roloff, e pelo administrador da Regional Cajuru, Narciso Doro Júnior.