Tira humorística de costumes iniciada em 1932 pela mente do artista Vincent T. Hamlin, um veterano da Primeira Guerra Mundial. O autor de índole generosa e modesta desenhou a tira até 1971, quando a passou para assistentes e sucessores que a conduzem até a presente data.


A ideia original se baseou em uma família de hábitos modernos no cotidiano pré-histórico. Foi uma ideia descartada (e que décadas depois os estúdios Hanna-Barbera aproveitaram), e Hamlin se esforçou por quatro anos para desenvolver e chegar ao seu mais notório personagem. Um homem da caverna bruto, que vivia em uma sociedade organizada na pré-história, com uma vasta galeria de personagens coadjuvantes, entre eles a sensual Ulla, sua eterna noiva.


O autor de certa forma sentiu que o personagem poderia mais, e menos de dez anos após sua criação, é introduzida uma máquina do tempo na tira, que fez o personagem viajar em muitas aventuras pela História. Do Egito Antigo até a Segunda Guerra Mundial (a política americana engajou os personagens de quadrinhos em enredos alusivos ou ambientados no conflito), o gentil troglodita, sua noiva e um dinossauro de estimação, estrelaram muitas peripécias. A cena mais chocante de toda a série foi uma radiografia da cabeça do personagem que revelou a ausência de cérebro. Uma das grandes sacadas do criador.


O personagem ganhou outras mídias, das quais a mais popular e duradoura foi uma animação para a TV nos anos 70.