Foi a primeira vez que reconheceram que havia arte nas histórias em quadrinhos, porém anos depois do fim da tira.
Little Nemo in Slumberland foi uma tira dominical criada por Winsor McCay em 1905. Suas narrativas cinematográficas e de arte surrealista apresentavam o garoto Nemo em aventuras com uma diversidade de coadjuvantes pelo mundo dos sonhos. Toda a vez que Nemo adormecia entrava em contato com seus companheiros e antagonistas, participavam de uma trama e, sempre no quadrinho final da página o menino acordava ao cair da cama, cena que se repetiu por anos.
Acontece que todo o deslumbre de Little Nemo não para nos criativos e bem desenvolvidos roteiros de McCay, que já havia produzido uma tira baseada nos sonhos, o primor estético e visual dos desenhos do autor eram o complemento perfeito e maravilhoso à sua fértil criatividade.
A qualidade do traço do desenhista contribuiu para que a tira caísse na graça do público e tivesse sucesso por cerca de dez anos, uma década depois foi continuada por mais quatro anos. Já os críticos só reconheceram o valor da obra muito após a morte do autor, quando na Europa dos anos 1960 começaram os estudos sobre os quadrinhos.
Little Nemo influencia autores de quadrinhos de todas as épocas posteriores à sua publicação, alguns numeraram quadros em suas histórias, e a repetição de finais padronizados em episódios de outras tiras e obras também foi adotado muitas vezes.