A devolução da MP 979/20 pelo Senado Federal permite a realização do pleito. Apesar disso o processo é questionado internamente por alunos e professores.

A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) irá manter a realização da eleição para escolha de reitor de forma virtual e com voto eletrônico, após a devolução ao Poder Executivo da Medida Provisória 979/20 pelo Senado Federal. Em nota oficial a UTFPR já havia informado, mesmo antes da devolução, que “as atividades de consulta à comunidade, aprovadas em regulamento pelo Couni, permanecem inalteradas”.
No entanto, diferentes grupos da universidade questionam a realização do processo eleitoral na forma como ele está sendo feito. Eles defendem que do jeito que está o pleito promove a exclusão de parte importante do eleitorado universitário. Segundo o Diretório Central dos Estudantes (DCE), “a aplicação de consulta online exclui aqueles que não tem acesso à equipamento/internet”. Em nota o sindicato dos professores (Sindutf-PR) chegou a fazer “uma recomendação para que todos fiquem de olho no processo eleitoral”. Durante a votação no Conselho Universitário os representantes sindicais e estudantis votaram contra o modo como a eleição estava sendo proposta. O regulamento da campanha foi aprovado sob o comando do reitor licenciado e candidato à reeleição, Luiz Pilatti.