Pode até parecer cena de filme, mas dez surfistas de Matinhos, no litoral do Paraná, deram de frente com uma situação inusitada no último sábado. Logo pela manhã, um tubarão cabeça-chata começou a rondar a região do Pico de Matinhos, local bastante frequentado por surfistas que utilizam o local para ter acesso ao mar aberto. Ninguém ficou ferido.

Vilmar Guilherme, morador de Matinhos, conta que o animal estava muito debilitado quando apareceu na praia naquele dia. “Parecia que ele estava perdido por causa da ressaca do mar. O tubarão estava fraco e nadando na beirada da praia”, relata.

O animal permaneceu na orla da cidade até o meio da tarde, quando foi capturado e abatido por pescadores. “Depois de ficar o dia todo nadando pela praia, os pescadores conseguiram capturar o tubarão com uma rede de pesca. Logo depois o mataram com um arpão”, diz. Após o abate foi constatado que o animal media três metros de comprimento e pesava 300 quilos.

Denúncia – A iniciativa tomada pelos pescadores da região em abater o animal não é a mais indicada pelo Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde. Segundo o órgão, ao avistar animais como tubarões, tartarugas, capivaras ou até mesmo pinguins, deve-se entrar em contato com a Força Verde através do disque-denúncia (0800-643-03-04).

O batalhão explicou que ao se constatar a presença de animais atípicos da região, os policiais entram em contato com centros de estudo de vida marinha localizados no litoral do Paraná.

Esses centros poderão avaliar a procedência do animal, bem como prestar cuidados caso haja ferimentos, conforme aconteceu com uma tartaruga-de-couro que desovou em Pontal do Paraná recentemente.

A Força Verde reforça que a mudança de rota faz com que animais desse tipo cheguem ao litoral do Estado, perdendo-se assim de seu caminho. Tradicionalmente, os centros marinhos se encarregam de devolver o animal para seu local de origem.