Segundo o diretor de Tecnologia e Desenvolvimento do Detran, Marco Aurelio de Araujo Barbosa, o ambiente escolar é favorável para se falar de trânsito.
“A adolescência é uma fase de busca pela liberdade e a conquista da primeira habilitação carrega também essa representação. No colégio, os alunos estão mais receptivos para aprender. Por isso, o projeto aproveita para semear valores e a conscientização que devem ser aliados no processo de obtenção da habilitação. Nossa expectativa é que os acidentes nessa faixa etária diminuam e a vida seja mais valorizada”, explica ele.

PROJETO – O Jovem no Trânsito é formado por 10 palestras de 50 minutos cada. Os policiais da Patrulha Escolar conversam com adolescentes e sobre legislação, valores e comportamentos seguros no trânsito. O Detran, a Polícia Militar e a Secretaria de Estado da Educação atuam como parceiros e contribuem no planejamento e disposição de matéria de apoio.

ALUNOS – Para a aluna do 9º ano, Thalynna Oliveira Araujo, de 15 anos, a falta de atenção é um dos principais problemas dos adolescentes e jovens no trânsito. “Hoje os celulares, tablets e fones de ouvido disputam muito a nossa atenção. É sempre bom sermos lembrados dos riscos que corremos quando não estamos atentos ao que realmente importa nas ruas”, comenta ela.

Samuel Hudson, de 16 anos, acredita que a empatia faz muita diferença no trânsito. “Percebo que as pessoas são muito egoístas nas ruas. Com as palestras temos a oportunidade de repensar nossas escolhas como pedestres e ciclistas e, ainda, nos preparar para sermos bons motoristas no futuro”, conta ele.

O diretor do Colégio Homero Baptista de Barros, Celso Ribas, conta que as escolas carecem de um trabalho de conscientização no trânsito. “O Projeto Jovem do Trânsito vai de encontro com o que os alunos e as escolas precisam. Essa parceria com as instituições de trânsito, segurança e educação é muito importante porque, em breve, nossos alunos passarão pelo processo de primeira habilitação e já estarão mais cientes dos direitos e deveres de um motorista”, afirma Ribas.

De acordo com a tenente e palestrante do Batalhão da Patrulha Escolar, Marília Silvia, a prevenção de acidentes é reflexo da contribuição na formação de cidadãos responsáveis e conscientes. “As palestras são feitas de maneira que eles possam interagir, fazendo algumas dinâmicas para que absorvam o máximo de conhecimento”, afirma.