Zé do Boné, Andy Capp no original, é uma tira de humor inglesa lançada em 1957. Criada por Reg Smythe. Começou como cartum e logo adotou o formato sequencial de tiras. O sarcasmo e acidez do autor fez com que a tira se difundisse universalmente. Do Daily Mirror foi publicado em vários países, do paulistano Jornal da Tarde aqui no Brasil até o jornal soviético Izvéstia.


A tira explora os costumes da sociedade através do personagem, um dos piores representantes que a classe trabalhadora pode escolher. Vagabundo, brigão, beberrão, fumante, mulherengo e violento com a esposa. O trocadilho que caracteriza seu nome em inglês foi bem traduzido para o português, Zé sempre tem seus olhos cobertos pelo boné, inclusive nos jogos de futebol, que joga com frequência. Seu estado de embriaguez é normalmente mostrado pelas hachuras que indicam vermelhidão no nariz.


Acusado de politicamente incorreto, o personagem é sempre confrontado pelos coadjuvantes que o cercam e apoiado pelo fiel companheiro de bebedeiras, com o avançar das décadas algumas práticas do protagonista foram revistas. As surras na austera esposa Flo cessaram, e quando o autor se livrou do vício do cigarro, sua criação deixou de fumar nas tiras.
O sucesso da tira fez Zé do Boné migrar para outras mídias como televisão e videogames. Após a morte do autor em 1998, outros artistas mantiveram a obra anonimamente por um tempo, depois passou-se a creditar.