Parte 1 – Gênero
Cada mercado de histórias em quadrinhos é reconhecido pelo gênero que produz majoritariamente. Dessa forma os europeus são reconhecidos por suas fantasias e aventuras artisticamente bem elaboradas, os japoneses pelo seu estilo de desenho dinâmico que não envereda por apenas um gênero, na Argentina há o humor político provocador, Inglaterra por seus enredos mais elaborados dentro de um formato mais comercial, o Brasil pelo caráter mais infantil (devido a Maurício de Sousa), e os americanos inquestionavelmente pelos aventureiros uniformizados, ou mais chamados de Super-Heróis.
Hoje em dia é muito comum os super-heróis em evidência, há muita exposição em outras mídias como TV e cinema, além de jogos, vestuário e brinquedos. Os quadrinhos já viraram a menor fatia do lucro desse tipo de franquia, mas são a porção base dessa cadeia.
É importante observar a evolução desse gênero de quadrinhos, como os heróis superpoderosos tomaram a liderança de vendas de uma mídia que era muito popular com humor baseado em peraltices infantis, animais antropomorfizados e confusões familiares.
É sobre o surgimento dos super-heróis, sua evolução mercadológica e como se tornaram a preferência e a imagem do principal mercado de quadrinhos do Mundo é que será tratado nas próximas colunas.

Sérgio Mhais
[email protected]