Sem registrar aglomerações, os 39 Centros de Referência da Assistência Social (Cras) reabriram as portas nesta segunda-feira (27/4) para atender as pessoas em situação de vulnerabilidade social que mais precisam de apoio neste momento de pandemia do novo coronavírus. Durante todo o dia, 1.956 delas procuraram as unidades, pessoalmente ou por telefone. Os atendimentos presenciais somaram 70% do total.

“Respeitando e seguindo as orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do Ministério da Saúde estamos reabrindo nossos CRAS para podermos também ajudar os mais vulneráveis e quem mais precisa nesta pandemia. A Prefeitura não deixa ninguém desamparado”! Afirmou o prefeito Rafael Greca.

A maioria das pessoas foi em busca de preenchimento e atualização do Cadastro Único, que dá acesso a benefícios sociais como o auxílio emergencial, pago pelo governo federal, e para solicitar alimentos.

Em função da pandemia do novo coronavírus, há um mês o serviço dos Cras havia sido transferido para os Núcleos Regionais e era feito, preferencialmente, por telefone.

Sem trabalho há 40 dias, Rosane de Fátima de Paula, 45 anos, foi uma das pessoas atendidas. Ela procurou o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Barigui, na Regional CIC, onde mora, para resolver uma pendência no Cadastro Único que estava impedindo a aprovação do recebimento do auxílio emergencial pago pelo governo federal.

“É muito melhor vir pessoalmente porque a gente conversa com os atendentes. Acho que por telefone é mais difícil”, disse a mulher que trabalha como autônoma em uma lanchonete da Arena da Baixada.

Situações emergenciais

A diretora da proteção Social Básica da FAS, Cintia Aumann, explica que os Cras estão priorizando os atendimentos de situações emergenciais, como pedido de alimentos, itens de higiene pessoal e limpeza.

As equipes também fazem o preenchimento ou atualização do Cadastro Único, mas priorizando as famílias que precisam de benefícios sociais, principalmente de isenção das tarifas de água e luz e transferência de renda. 

Cintia destaca que mesmo com a abertura dos Cras, as equipes mantêm o atendimento às famílias por telefone. “Queremos que as pessoas tenham suas questões solucionadas remotamente, o que evita que elas precisem se deslocar até os Cras para buscar atendimento.”

Cuidados

Para evitar o risco de contaminação pelo novo coronavírus, a FAS criou um protocolo de atendimento nos Cras com informações sobre organização dos espaços, hábitos que devem ser adotados pelas equipes, uso dos equipamentos de proteção individual (EPIs) e organização do atendimento.

A orientação é que apenas uma pessoa da família procure as unidades, evitando principalmente levar crianças. São organizadas filas nas áreas externas, respeitando o distanciamento de 1,5 metro.

Para aumentar a segurança, todos os servidores receberão kits com equipamentos de proteção individual (EPIs), contendo máscaras laváveis, máscara-escudo facial, luvas, álcool em gel e líquido. Ninguém está autorizado a trabalhar sem os equipamentos de segurança.

A coordenadora do Cras Barigui, Érika Souza Mendonça, disse que o uso dos EPIs traz tranquilidade no atendimento. “É importante para a proteção dos servidores e da população que procura os serviços”, disse.  

As pessoas que vão até os Cras também devem usar máscara, acessório de proteção exigido em locais públicos. Todas recebem álcool em gel para higienização das mãos, antes de entrarem nas unidades.

O atendimento nos Cras é realizado de segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 16h.