O Acidente vascular cerebral (AVC), conhecido como derrame cerebral tem as consequências e os sintomas muito variados e a dificuldade em reconhecê-los também é maior.
Hipertensão arterial, diabetes e as alterações dos níveis de colesterol e de triglicérides, tabagismo, vida sedentária, obesidade e várias doenças cardíacas estão entre os fatores que podem ser tratados a fim de prevenir a ocorrência de AVC.
Os acidentes vasculares cerebrais provocam alterações motoras, assim como dormência e formigamento que, com freqüência, acometem apenas um lado do corpo. A pessoa pode sentir ainda súbita fraqueza muscular (total ou parcial) ao segurar um objeto, mexer a mão, a perna ou o rosto. Podem ocorrer também alterações da visão como redução do campo visual, ou enxergar um lado meio nebuloso ou escuro ou a perda total da visão de um dos olhos.
Outro sintoma comum são as alterações da fala. Os familiares notam que a fala do paciente se tornou arrastada ou percebem sua dificuldade de articulação ou de expressão.
Os sintomas provocados pelo AVC são muito variáveis. Vão de alterações motoras evidentes – a pessoa perde o movimento do braço ou entorta a boca – até alterações da memória e da visão.

Lembrete: até 3 horas depois do ocorrido, é possível reverter a maior parte dos danos causados pelo AVC.