Com o ano se aproximando do fim, é hora de realizar uma retrospectiva completa exaltando o feito de alguns dos principais esportistas paranaenses em 2019. Entre poker ao futebol, separamos alguns deles de acordo com os seus resultados.

Fernandinho (Futebol)

De Londrina, Fernandinho é um dos brasileiros que fizeram história pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Entre 2005 a 2013, o volante defendeu as cores do time ucraniano e totalizou aproximadamente 300 jogos com a equipe.

Desde então, Fernandinho tem sido um nome importante no Manchester City. Em seis anos com a equipe inglesa, o jogador já acumula mais de 290 partidas e continua como um nome importante no time de Pep Guardiola.

As vezes atuando como zagueiro, Fernandinho é um bom jogador defensivo e que tem como característica a saída de bola com qualidade. É um homem de confiança de Guardiola e a idade não parece estar afetando o jogo do paranaense.

Ao lado de Miranda, foi o único paranaense a disputar a Copa do Mundo do ano passado. O jogador também esteve no elenco campeão da Copa América deste ano e participou da Copa do Mundo de 2014.

O volante tem contrato garantido com o City até o ano que vem, mas há boas possibilidades de renovação para pelo menos mais uma temporada.

Sempre como coadjuvante, é um jogador que ficará marcado na história do futebol paranaense como um dos mais condecorados.

Thiago Wild (Tênis)

O último brasileiro a atingir o top 30 do ranking mundial de tênis masculino na categoria simples foi Thomaz Bellucci e isso já faz aproximadamente 10 anos.

A nação que uma vez teve Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni e outros jogadores de destaque está carente de um grande jogador de tênis na categoria simples e Thiago Wild é uma das principais esperanças para o futuro.

De Marechal Cândido Rondon, Wild tem apenas 19 anos e já figura entre os 215 melhores tenistas do planeta. No início do ano, o paraense estava com a 447ª colocação mundial, ou seja, ele mais do que dobrou a sua posição no ranking da ATP.

Um dos principais pontos positivos da curta carreira de Wild foi o título no Challenger de Guayaquil, disputado em novembro. Na ocasião, o paranaense derrotou o boliviano Hugo Dellien por 2 sets a 0 e desbancou o número 75 do mundo para ficar com a conquista.

https://www.youtube.com/embed/fUdHTjaOAgo

Com muito potencial, 2020 será um ano especial para a carreira do paranaense, que provavelmente irá ascender ainda mais no ranking da ATP.

Dayane Kotoviezy (Poker)

O poker é uma modalidade democrática em que qualquer pessoa pode participar dos torneios, mas o jogo ainda segue dominado pelos homens. Estima-se que as competições oficiais contam com menos de 10% das mulheres entre os participantes.

Apesar de ser um jogo ainda dominado pelos homens, algumas mulheres se destacam em grande nível e a paranaense Dayane Kotoviezy é uma das grandes referências no país.

Entre as mulheres, Kotoviezy foi certamente um dos principais destaques da temporada. De Curitiba, a jogadora vive uma fase impressionante em sua carreira e terminou o ano como a segunda melhor no ranking latino feminino.

Neste ano, a jogadora disputou vários torneios internacionais, como o partypoker MILLIONS World Bahamas (Nassau), o WSOP International Circuit (Monterrey) e o partypoker Grand Prix (Punta del Este).

Ainda bem jovem, Kotoviezy é uma competidora bem promissora e tem tudo para seguir nos holofotes do poker nacional em 2020.

Renan Torres (Judô)

Debutando nos Jogos Pan-Americanos, Renan Tores, de Londrina, subiu ao lugar mais alto do pódio com vitória na categoria até 60kg no judô. O atleta fez bonito e conquistou a honraria com estilo diante do equatoriano Lenin Preciado.

“Não caiu muito a ficha ainda. Estava um pouco nervoso por ser os Jogos. Mas minha cabeça estava bem focada, e eu tentei pensar como se fosse só mais uma competição na minha vida”, disse o jogador após a medalha.

Com apenas 20 anos, Renan é uma das principais promessas do judô brasileiro e mostrou que veio para ficar com essa atuação especial nos Jogos Pan-Americanos realizados em Lima, no Peru.

O judoca foi recepcionado em Bauru, na sede da equipe Sesi-SP e se emocionou. “É uma emoção enorme, parece que não caiu a minha ficha. Ainda me pego pensando no que vivi no Peru, vejo os vídeos das minhas vitórias e me dá muita alegria. Ao ver todas essas crianças aqui, fico muito emocionado. Um dia estive desse lado também. Fui inspirado por muitos atletas e, hoje, ser uma inspiração para eles é algo que não tem preço”, disse Renan.

Kauê Willy Cardoso (Triatlo)

Primeiro paranaense a conquistar um ouro nos Jogos Pan-Americanos deste ano, Kauê Willy Cardoso teve uma atuação espetacular no triatlo — que consiste nas modalidades natação, ciclismo e corrida.

De Curitiba, o atleta de 23 anos subiu ao pódio na prova de revezamento misto. Ele competiu ao lado de Luísa Baptista, Vittoria Lopes e Manoel Messias.

Atleta da Força Aérea Brasileira, Willy é sargento e também se emocionou com a conquista da medalha — um dos pontos mais altos da carreira do competidor.

“Estou muito feliz com essa conquista, é a primeira vez que o revezamento misto é disputado no Pan e o Brasil foi campeão, agradeço a todas as pessoas que estão no dia a dia comigo”, afirmou após o feito.

Além de todos esses atletas paranaenses que brilharam nos Jogos Pan-Americanos, vale também mencionar os competidores do Estado que fizeram bonito nos Jogos Parapan-Americanos, que foram realizados em Lima.