Não existe em todo o UNIVERSO uma única criatura definitivamente realizada e incapaz de se realizar ulteriormente, toda e qualquer criatura, mesmo BRAHMA, ou CRISTO, são criaturas altamente realizadas, mas sempre realizáveis; são, por assim dizer, sinfonias inacabadas. Toda e qualquer criatura, mesmo a mais perfeita criatura cósmica, é ulteriormente evoluível ou realizável. A vida eterna não é uma chegada, uma parada, uma meta final – é uma incessante jornada ou evolução rumo ao infinito, sem jamais coincidir com o Infinito. Todo o Finito, diz a matemática, em demanda do infinito está sempre a uma distância infinita.
Tudo flui, dizem os filósofos antigos; tudo é relativo, escreve Einstein em nosso século.
A Divindade, o Infinito, o Absoluto não é objeto de nosso conhecimento. Tudo que sabemos se refere ao relativo, ao fluídico, ao evoluível, que está em incessante evolução. Apenas os homens que possuem dúvidas dentro de si mesmos se tornam fanáticos. Um cristão fanático é aquele que tem dúvidas sobre a Cristandade. Essas pessoas se tornam fanáticas, agressivas, não para provar algo aos outros, mas para provar a si mesmas que realmente acreditam naquilo em que acreditam. Precisam fazer isso constantemente.
Quando você de fato sabe algo, não se torna um fanático. Você sabe e pronto.
Você conhece sua face original? Você conhece apenas aquilo que seu espelho lhe mostra. E todas as nossas relações são apenas espelhos. Você só verá sua face original no silêncio profundo…

Pedro da Costa é Quiropata e Livre-Pensador