Uma intervenção da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) vai beneficiar 305 famílias que vivem na Vila Ferrovila, no bairro Portão. Entre os contemplados, 56 famílias vivem em área de risco e serão transferidas para novas casas e as outras 249 receberão obras de urbanização e regularização fundiária.

“Este projeto dará continuidade ao programa Cohab Solar. As novas casas nós construiremos equipadas com painéis de energia fotovoltaica e assim vamos beneficiar não só os moradores com a economia financeira, mas todo o meio ambiente, ao utilizarmos uma energia limpa e renovável”, destaca o prefeito Rafael Greca.

A área de intervenção denominada Vila Ferrovila é uma ocupação iniciada na década de 1990. Área consolidada, tem acesso a serviços e equipamentos públicos, mas ainda carece de melhor infraestrutura e da regularização dos lotes.

A obra prevê reassentamento, execução de pavimentação, sinalização viária, drenagem, redes de água e esgoto, além da recuperação ambiental, dos locais degradados pela ocupação indevida.

A transferência das 56 famílias será necessária para a regularização da vila, pois estes moradores habitam Área de Preservação Permanente (APP), além de uma diretriz de arruamento. Elas receberão casas novas no empreendimento Moradias Arroio, localizado na CIC, a 5 km da Ferrovila.

Cada unidade será entregue com um painel que transforma radiação solar em energia elétrica para uso doméstico. Iniciado em 2018, o projeto Cohab Solar proporciona para as famílias economias de até 80% nas contas de luz.

Acompanhamento social

O Departamento de Serviço Social da Cohab vai realizar um trabalho junto aos moradores, com objetivo de fazer o acompanhamento e prestar o apoio necessário às famílias antes, durante e depois da implementação da intervenção física, por meio de ações intersetoriais com outras secretarias municipais.

“Quando a Cohab realiza um projeto de reassentamento de famílias é fundamental atuar em conjunto com outras secretarias, para que os cidadãos atendidos tenham acesso a outras políticas públicas. Desta forma ampliamos a inclusão dos moradores nos serviços e equipamentos públicos do entorno”, explica o presidente da Cohab, José Lupion Neto.

As ações sociais começam antes do início das obras, com um trabalho informativo de orientações a respeito da proposta de intervenção e benefícios que serão disponibilizados para as famílias. Após o término das obras, as famílias serão acompanhadas durante seis meses, para que tenham o apoio técnico necessário no processo de adaptação da comunidade.