– Pedro da Costa – 

Preocupações e ansiedades continuam dissipando nossa energia. E precisamos de uma energia transbordante para compartilharmos do Divino. As preocupações são vazamentos, buracos pelos quais a energia está continuamente se dissipando.
Pare de pré-ocupar. Não há nada que se pré-ocupar, tudo já foi resolvido. Viva com essa confiança. A existência ama você. Nenhum mal jamais pode acontecer. Como o todo poderia ferir uma de suas próprias partes? Isso é impossível. E, se algumas vezes você sentir que algo ruim está acontecendo, pode ser que haja um erro de interpretação de sua parte. Deve haver alguma bênção escondida ali.
Uma vez que essa confiança surja em uma pessoa, não há necessidade de se pré-ocupar, de permanecer em um estado de ansiedade. A ansiedade significa “não há ninguém para cuidar de mim. Tenho que carregar esse peso, estou acabado, e toda a existência é hostil!”. É isso que cria ansiedade: “todos estão contra mim. De alguma forma, todos estão conspirando contra mim, todos me perseguem. Tenho que me proteger, ser cuidadoso e planejar, me mover de tal forma que eu, e não os outros, seja o vencedor. Todos são competidores e estão decididos a me vencer”.
Essa atitude gera ansiedade, é uma atitude de uma pessoa não-religiosa. Quando digo “não-religiosa”, não estou me referindo a alguém que não vai a igreja, que não lê a Bíblia, não é esta a questão. A pessoa pode ler a Bíblia, pode ir a igreja, mas se estiver ansiosa o tempo todo, não é uma pessoa religiosa. É possível que ela vá a igreja apenas por causa da sua ansiedade. Por conta dessa ansiedade, ela reza para Deus e, pelo mesmo motivo lê a Bíblia, buscando proteção e segurança. Mas se a ansiedade estiver presente, uma pessoa não é religiosa. Ela tem uma atitude patológica e sua religião será igualmente patológica.
Uma pessoa verdadeiramente religiosa nunca se sente ansiosa, ela muda toda a sua forma de compreender as coisas. Sabe que é parte de toda a sua forma de compreender as coisas. Sabe que é parte de toda a existência, e se as árvores não estão pré-ocupadas, se os pássaros na estão enlouquecidos, se os animais estão profundamente felizes, porque ela não deveria fazer o mesmo? “eu pertenço a essa existência, sou um aparte essencial dela”. Essa confiança, essa compreensão, essa fé fazem parte com que qualquer ansiedade desapareça. Você parou de gerar ansiedade, para de disseminar ansiedade.
Então há tanta energia sendo preservada que começa a transbordar numa espécie de festividade, torna-se uma dança. É tão abundante, tão exuberante, que a vida se torna um festival. Nesse momento podemos dizer que uma pessoa é religiosa, que ela está embriagada do Divino.