Não está fácil passar por este tempo de pandemia. Porém, a chave para superar tantas adversidades da vida está na saúde mental, revela o PhD e neurocientista Fabiano de Abreu.

Os últimos tempos não têm sido fáceis para ninguém. Com a pandemia, a vida de toda a sociedade teve que ser transformada para poder se adequar às situações impostas pelas medidas sanitárias. Ao mesmo tempo, o isolamento social e o distanciamento físico das pessoas trouxeram ainda mais impacto para a humanidade.

Mas, ainda assim, a chave para superar tantas adversidades é manter a saúde mental em dia, orienta o PhD, neurocientista, neuropsicólogo e biólogo Fabiano de Abreu. “Aprendi a atravessar a vida enfrentando os desafios desse terreno tão acidentado, onde não há garantias, portanto, nenhuma segurança, inspirando outros seres humanos a não desistir. Também percebi que preservar a minha sanidade mental diante de tantos acontecimentos ruins é a maior prova da minha força interior, e é só o que importa”.

Manter a sanidade mental em tempos tão desafiadores é um luxo dos tempos modernos, destaca o neurocientista: “Mas não é tão complicado se manter em equilíbrio quanto parece, mas para que você consiga se manter bem e estável, você precisará entender o que realmente importa nessa vida. Afinal, você precisará entender que sem saúde mental, não haverá saúde alguma. E se ainda está em equilíbrio, precisa ter consciência que é necessário se manter assim”.

Logicamente, não está nada fácil manter a coragem em um mundo que alimenta o medo a todo instante. Por isso, Fabiano reforça que, “para que você se mantenha confiante, precisará agir diante da vida com disciplina e com o discernimento para conseguir diferenciar o que presta do que não serve mais, o que precisa manter e o que deve deixar ir. Olhe para as coisas do mundo com um olhar de confiança, desenvolva uma alma resiliente e caminhe com o coração carregado de afetos. Caso contrário, tudo vai desandar”, analisa.

Mas, como buscar esta saúde mental diante de tantos obstáculos? Para o PhD e neurocientista, uma grande aliada é a cognição: “Ela é como uma caixa de ferramentas de onde retiramos a resolução dos problemas de ordem prática para transformar o ambiente ao nosso redor, alterando o resultado final, tornando o nosso ‘destino’ mais positivo. Não existe percurso retilíneo nessa longa jornada da vida. Existirão curvas e desvios necessários para a nossa evolução enquanto seres humanos e para o nosso crescimento pessoal, individual”, acrescenta.

“As situações cotidianas sempre nos trazem o ‘X da questão’ para que nossa saúde mental possa encontrar seu valor oculto. Ou seja, sempre podemos tirar uma lição das situações que nos acontecem. Enquanto estivermos em homeostase, mantendo nosso equilíbrio emocional, administrando nossos conteúdos latentes antes de torná-los manifestos seguiremos “sãos”, mesmo que tudo pareça um caos”, pondera Abreu.

Fabiano também deixa um conselho para quem deseja cuidar da saúde mental em tempos tão recheados de obstáculos: “Aprendi que o que mais importa nessa vida não é o dinheiro, o poder, as conquistas amorosas e a projeção social, o que mais importa mesmo é a minha sanidade mental, pois sem ela, nenhum desejo ou sonho poderá ser realizado por mim”, finaliza.