Os Jogos Parapan-Americanos, em Lima, no Peru, terminaram neste domingo (1º/9) com um recorde de medalhas para o Brasil

Paratletas curitibanos que recebem apoio do Programa de Incentivo ao Esporte da Prefeitura de Curitiba ajudaram o Brasil a um feito inédito nos Jogos Parapan-Americanos, em Lima, no Peru. As competições terminaram neste domingo (1º/9) e o Brasil teve o maior número de medalhas dos jogos, 308 no total – 124 de ouro, 99 de prata e 85 de bronze.

O resultado é histórico, nunca nenhum país tinha somado tantas vitórias em uma única edição de Parapan. Os atletas de Curitiba foram responsáveis pela conquista de dez medalhas, sendo quatro ouros, três pratas e três bronzes.

Campeões

A última medalha conquistada por um atleta incentivado pela Prefeitura durante os jogos de Lima foi neste domingo (1º/9). Vitor Tavares levou a medalha de ouro no badminton ao vencer o americano Miles Krajewski por 2 sets a 1. O curitibano ficou com o primeiro lugar na classe SS6.

Em 28 de agosto, quem brilhou foi a Seleção Brasileira de Vôlei Sentado, ganhadora da medalha de ouro ao vencer os Estados Unidos por 3 sets a 0.

Os paratletas de Curitiba Daniel Jorge da Silva e Anderson dos Santos ajudaram Seleção Brasileira de Vôlei Sentado na campanha impecável: foram sete vitórias em sete jogos. 

Além de ganhar o ouro, a Seleção Brasileira de Vôlei Sentado garantiu vaga para as Paralimpíadas em Tóquio, no ano que vem.

Os paratletas de Curitiba também conquistaram medalhas na natação e no tiro esportivo, no dia 25 de agosto. Tisbe de Andrade ganhou o bronze na natação nos 50 metros costas S4-5 feminino.

O curitibano Sérgio Vida ganhou medalhas de prata e bronze no tiro esportivo. A modalidade estreou neste ano nos Jogos Parapan-Americanos. Vida ganhou a prata na pistola de ar 10m SH1 e o bronze na pistola mista de 50m SH1.

Outro atleta que volta a Curitiba com medalhas é Rodrigo Ferla, técnico de taekwondo e integrantes da comissão técnica da seleção brasileira. A equipe conquistou duas medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze.

Capa de prótese

Os atletas incentivados pela Prefeitura foram para Lima com a capa de prótese Confete, feita pela empresa curitibana Furf Design Studio. O produto premiado internacionalmente foi desenvolvido pelos curitibanos Mauricio Noronha e Rodrigo Brenner.

A Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj) comprou as capas para os paratletas.