A desempregada Karina de Campos, 25 anos, mora próximo do Rio Vila Formosa, no Novo Mundo. Na semana passada, durante os dias em que as fortes chuvas castigaram Curitiba, ela temia ver uma antiga cena do bairro: as águas do rio invadindo ruas e casas. “Mas, apesar da chuvarada, não voltou a ocorrer alagamentos”, comemora a jovem.

A tranquilidade da população que vive próximo ao Rio Vila Formosa, mesmo com as chuvas mais intensas de maio, foi garantida pelas obras de drenagem e dragagem realizadas pela Prefeitura neste ano. Desde fevereiro, 1.050 metros do canal estão passando por um trabalho de desassoreamento realizado pelo Departamento de Pontes e Drenagem da Secretaria Municipal de Obras Pública.

“O entulho dificulta a passagem da água num canal já assoreado pela ação humana e do tempo”, explica Maurício Braun, engenheiro da Secretaria Municipal de Obras. “Estamos retirando esse material danoso e abaixando o fundo do leito para garantir mais vazão do Rio Vila Formosa, que deságua no Rio Barigui e também recebe as águas do Rio Vila Leão e do Córrego Novo Mundo.”

Cerca de 1,5 metro de altura de entulho está sendo retirado durante o desassoreamento, boa parte formada por caliça (restos de construção). O resíduo ainda pode ser encontrado nas margens e na mata ciliar. “É um trabalho que ainda vai levar mais 30 dias”, prevê Reinaldo Boaron, administrador da Regional Pinheirinho.

Para o presidente da Associação de Moradores e Amigos da Vila Maria e Uberlândia, Fabrício Rodrigues, a comunidade em torno do rio está feliz com os resultados dos trabalhos. “Antes, quando acontecia uma chuva muito forte, os moradores tinham muito medo de perder tudo em suas casas”, completa Jaime João de Oliveira, vice-presidente da Associação dos Moradores da Vila Leão.

Amigo dos Rios

O administrador regional do Pinheirinho lembra que as obras de drenagem e dragagem do Rio Vila Formosa fazem parte das ações do programa Amigo dos Rios, para melhoria e recuperação dos rios da cidade. “Não podemos mais encontrar nos rios restos de fogões, geladeiras e tubos de televisão. A cidade que queremos passa pela limpeza e recuperação de todas as nossas bacias”, resumiu.

Segundo Boaron, estão previstas ainda ações de Educação Ambiental para a população que irão complementar as melhorias na região.