Ler é o melhor exercício para o cérebro

Aos 69 anos, a ginecologista Loreta de Moraes Napp devora livros por prazer – e também por afinidade, já que é casada com o escritor gaúcho Sérgio Napp. Porém, há outro importante motivo por trás do hábito: ela sabe que o bom desempenho da sua memória depende disto.
– A minha preocupação começou cedo, ao observar que as mulheres que eu atendia se queixavam muito de lapsos de memória após a chegada da menopausa.
Hoje, Loreta recomenda leitura às pacientes como uma poderosa aliada para enfrentar as mudanças que a vida trás.
Apesar dos avanços da saúde, não há nada melhor para o cérebro do que devorar livros.
E as vantagens são muitas, principalmente nos últimos 20 anos quando se conhece cada vez mais detalhes sobre o mecanismo da memória.
A memória pode ser aperfeiçoada?
Em tese sim, com drogas que na verdade só podem se indicadas para quem tem déficit de atenção. Mas quem não tem a doença e quer ter um cérebro saudável, fica para muitos especialista a recomendação da leitura, o melhor exercício que alguém pode fazer com o cérebro. O uso constante da memória é um exercício que a estimula. Quanto mais se usa, melhor funciona. É como os músculos não podemos exagerar com uso abusivo da memória. Tem hora de dormir, de descansar, tudo tem seu momento.
– Concentre-se – preste atenção naquilo que você lê, vê ou ouve.
Seja curioso, aberto a receber novas informações e saber o porquê das coisas.
Planeje-se para dar sentido à vida e nos motivar a ficar atentos, ligados.
Tenha vida social ampliando seus relacionamentos e trocando ideias.
Compartilhe suas experiências e conhecimento treine sua memória relembrando.
Busque tranquilidade e lugares saudáveis
Alimente-se com atenção e com qualidade.
Durma bem para se manter descansada.
Não tenha medo de remédios, mas procure sempre orientação profissional.

Fonte: www.clicrbs.com.br