O estudo publicado recentemente em revista internacional por grupo de pesquisadores brasileiros do HC-USP mostra que estimulação magnética é eficaz para tratar a depressão

Acaba de ser publicado um novo artigo científico de Psiquiatria na Revista Internacional Nature Medicine, a Neuropsychopharmacology, sobre os resultados de uma pesquisa clínica controlada fruto de um trabalho de três anos do GRUDA (Grupo de Estudos de Doenças Afetivas) e do SIN (Serviço Interdisciplinar de Neuromodulação), ambos do Instituto de Psiquiatria (IPQ) do Hospital das Clínicas da USP, de São Paulo.

Os resultados mostram que o uso associado de um equipamento de estimulação magnética profunda chamado de deep TMS usado em pacientes com transtorno bipolar  em fase depressiva resistente ao tratamento com remédios levou a maiores taxas de melhora no quadro do que no grupo de pacientes que não receberam o estímulo.

Para o psiquiatra e pesquisador responsável pelo estudo do Dr. Diego Tavares a técnica   já havia sido utilizada em pacientes deprimidos mas nunca em pacientes com depressão da doença bipolar. “Este primeiro estudo no mundo mostra novos horizontes no tratamento da depressão do transtorno bipolar, doenças que acomete grande parte da população e que  se caracteriza por depressões graves e de difícil tratamento com o que temos disponível hoje”, comenta o médico.

Confira o estudo: http://www.nature.com/npp/journal/vaop/naam/abs/npp201726a.html