Devido às dúvidas e reclamações geradas pela falta de gás de cozinha em estabelecimentos de Curitiba e região, o secretário da Justiça, Família e Trabalho do Governo do Paraná (Sejuf), Ney Leprevost, determinou ao Procon-PR que oficiasse a Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás LP (Abragás) para orientação nas revendas, evitando o desabastecimento do produto.

O documento pede a limitação quantitativa dos botijões vendidos por consumidor, dentro do bom senso e de acordo com o estoque de cada estabelecimento, de modo a garantir o abastecimento e atender às necessidades de todos os consumidores.

“Também estamos pedindo aos consumidores que não estoquem gás desnecessariamente, isto é, inclusive, perigoso”, reforça o secretário Ney Leprevost.

Preços

Além disso, o Procon, em conjunto com a Delegacia do Consumidor (Delcon) está apurando denúncias de aumentos abusivos praticados na revenda dos botijões. “A constatação dos abusos resultará em multas que variam de R$ 600 a R$ 8.000.000, além da aplicação das sanções penais cabíveis”, diz a chefe do Procon-PR, Claudia Silvano.