O historiador Jair Elias dos Santos Júnior e o sociólogo Tiago Valenciano lançaram nesta segunda-feira (17), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, o livro “Tribuna”, obra que reúne discursos e conferências proferidos pelo ex-governador Bento Munhoz da Rocha Neto. O secretário da Cultura, João Luiz Fiani, participou do lançamento. 

Segundo o historiador, a obra começou a ser organizada em 2010 e tem a finalidade de levar ao leitor a compreensão do Paraná, a partir da visão de Munhoz da Rocha. “Ele fala sobre as origens do Paraná e a visão do ex-governador sobre a política e os acontecimentos da década de 1960”, disse Santos. 

O título da obra, de acordo com o historiador, foi escolhido pelo próprio Munhoz da Rocha em 1971, que já nesta época desejava reunir em livro seus discursos na Câmara dos Deputados, no Governo do Estado e na fase pós-governo, quando se dedicou a ministrar palestras em entidades e instituições educacionais de Curitiba e do interior do Paraná. Os discursos estavam arquivados no Círculo de Estudo Bandeirantes, em Curitiba. 

LEGADO – O secretário da Cultura destacou o legado de Munhoz da Rocha no Estado. “Era uma pessoa que tinha visão de futuro e uma lucidez muito grande. Este livro é importante, porque é uma forma de resgatarmos a nossa história”, declarou. 

Segundo Tiago Valenciano, o livro é uma oportunidade para registrar na história as impressões que Bento Munhoz tinha da política e do Paraná enquanto pensador. “O Bento foi um dos grandes governadores do Estado, foi uma das pessoas que pensou no Paraná do amanhã e deixou um legado intelectual. O próprio Palácio Iguaçu e o Centro Cívico foram ideias dele”, contou. 

O livro com mais de 200 páginas, também registra o primeiro discurso de Munhoz da Rocha, em 1927, quando se formou em engenharia civil. Entre outros discursos, destacam-se os de posse e saudação na Academia Paranaense de Letras, em 1967, além de citações e uma quantidade expressiva de fotografias que registram a trajetória do ex-governador. 

BIOGRAFIA – Bento Munhoz da Rocha Neto nasceu em 1905, em Curitiba. Formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Paraná, presidiu o Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico do Paraná. Lecionou História da América na Universidade Federal do Paraná, Sociologia na Universidade Católica e Economia Política na Faculdade de Engenharia. 

Governador do Paraná entre 1951 e 1955, foi responsável por importantes projetos arquitetônicos do Estado. Durante sua gestão foram construídos o Teatro Guaira, a Biblioteca Pública do Paraná e o Centro Cívico, concebido para abrigar as sedes dos poderes estaduais, incluindo o Palácio Iguaçu.