Visando levar uma mensagem de gratidão aos profissionais da saúde, a direção do Sindaruc, com a participação dos empresários permissionários e produtores, com apoio da direção da Ceasa de Curitiba está realizando mais um movimento de arrecadação de alimentos. Esta iniciativa, desencadeada sob o olhar e atenção especial do presidente Paulo Salesbram e diretores do sindicato, levando “seu agradecimento a estes Anjos da Guarda vestidos de branco que estão na linha de frente da maior guerra que este país e o mundo todo está enfrentando”.

Profissionais de saúde que atuam no enfrentamento à Covid-19 foram surpreendidos com uma ação promovida pela Ceasa Paraná e pelos permissionários da unidade de Curitiba. No momento mais crítico da pandemia no Estado, os atacadistas e produtores se reuniram e arrecadaram 7 mil quilos de frutas para serem entregues em cinco hospitais de Curitiba e da Região Metropolitana e em nove Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Capital.


Estão sendo doados alimentos que vão além do que é normalmente destinado ao Banco de Alimentos. São frutas de qualidade comercial selecionadas, pelo seu valor nutritivo para servir de motivação e apoio aos trabalhadores que atuam na rede de saúde pública e em hospitais de Curitiba.
Neste primeiro momento foram arrecadados 7 mil quilos de frutas entregues em cinco hospitais de Curitiba e RMC e também nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Capital.
Os profissionais de saúde foram surpreendidos com a iniciativa, agradecendo os empresários doadores que trabalham sempre com os olhos voltados para a comunidade como explica Salesbram: “Assim como sempre fazemos quando sentimos necessidade de ajuda, também neste momento mais crítico da pandemia no Estado, os empresários se unem mais uma vez para levar sua solidariedade”.
A distribuição foi coordenada pelo Banco de Alimentos da unidade, atendendo o Hospital do Trabalhador, o Hospital do Idoso Zilda Arns, Hospital Evangélico Mackenzie, Santa Casa de Curitiba, Hospital do Rocio, em Campo Largo, além das UPAs do Sítio Cercado, Boqueirão, Boa Vista, Cajuru, Pinheirinho, CIC, Campo Comprido, Fazendinha e Tatuquara.
Visando reduzir o impacto social da pandemia, as frutas doadas são fáceis de serem consumidas pelos profissionais em seus locais de trabalho, como banana, maçã, pera, laranja e caqui. A ideia é que a ação se repita pelas próximas semanas, mobilizando ainda mais comerciantes.
O diretor-presidente da Ceasa, Éder Eduardo Bublitz destacou a iniciativa que “oferece um pouquinho de alento aos profissionais que estão na linha de frente, para que, em um momento do seu dia possam ter um pouco de prazer. Eles estão em uma tarefa árdua de cuidar das pessoas que estão tratando a Covid”.