Na manhã de domingo, dia 22, prefeito Rafael Greca com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em videoconferência.
Coordenada pela Frente Nacional de Prefeitos a pedido do ministro Mandetta para alinhar com as capitais ações de combate ao coronavirus e pedidos de recursos para ampliar equipes e infraestrutura do SUS curitibano.
“Pânico também é doença”, disse o prefeito no início da sua participação. Em seguida, ele informou ao presidente e ao ministro a estrutura de Curitiba para atendimento imediato aos pacientes contaminados pelo coronavirus. São 5.623 leitos hospitalares e 761 leitos de UTI e abertura de outros 240 leitos de UTI, completando 1.001 leitos.
Mandetta elogiou o SUS curitibano e disse que Curitiba tem a melhor saúde pública do Brasil.


“Pedi ao ministro autorização para colocar equipes da Saúde municipal no aeroporto orientando a quarentena aos viajantes que chegam do Exterior, do Distrito Federal, e das capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte”, afirmou. O prefeito pediu ainda o pagamento integral dos contratos com os hospitais, com a suspensão temporária da avaliação de metas, o que foi acatado pelo ministro.
A videoconferência foi realizada na Sala de Situação do Palácio 29 de Março e contou com a participação dos secretários municipais da Saúde, Márcia Huçulak, do Governo (e também presidente do Ippuc), Luiz Fernando Jamur, da procuradora- geral, Vanessa Volpi, e da chefe de Gabinete do prefeito, Cibele Fernandes Dias.