– Pedro da Costa – “Você vive num mundo hipnotizado pela ilusão do tempo. Um mundo no qual o momento presente é inteiramente negligenciado, ou apenas visto como tênue fio que divide um passado todo – poderoso e cansativo de um futuro extraordinariamente importante e sedutor. Por um lado, sua consciência está completamente ocupada com memórias passadas e, por outro, com expectativas futuras”.

“Será que você não compreende que nunca houve, que não haverá nenhuma experiência que não seja a experiência do presente? Quando se esquece disso, você perde o contato com a realidade e cria um mundo de ilusões”.

“Você  alimenta-se quando presta atenção ao que acontece, aqui e agora, sem apegos. Você alimenta-se quando sua mente se apercebe, sem julgamentos, daquilo que é.”

“Você alimenta-se quando, sem deixar de estar consciente do seu corpo e da sua mente, e do vozerio do mundo que o cerca, você vai ficando cada vez mais sintonizado com a voz do silêncio, com a sabedoria da sua essência interior.

Você alimenta-se quando, na quietude da natureza, você se volta para dentro de si mesmo por alguns instantes para participar do silencio de Deus.

Você alimenta-se ainda mais valiosamente quando, no meio do burburinho da vida, no centro do alvoroço e dos desafios do dia a dia, leva consigo a mesma quietude interior que transforma o seu coração no templo do espírito.

“Você alimenta-se quando nem vive inteiramente neste mundo nem fora dele; e quando embebe a sua mente nas águas da criação e da inteligência divinas, para que, com sua atitude, cada ser, cada coisa possa despertar para a sua qualidade essencial.

“Você alimenta-se quando, na agonia da indecisão, diz: “Não se faça a minha vontade Deus, mas a Tua!”

“Porém, você alimenta-se mais ainda quando escuta com o ouvido do seu corpo, com o ouvido de sua mente e com o ouvido da alma – a voz silenciosa que fala do cosmo esterno e lhe pede que seja UM COM A VIDA”.