O que é a moeda? – Pedro da Costa –  

Simples. A moeda é um objeto redondo, que possui duas faces, ou dois lados que chamamos de cara e coroa. Com ela mesma só fazemos simples negócios do dia a dia, muito simples, mas necessários: andamos de ônibus, compramos pão e damo-la por pequenas razões.
Um real. Já repararam como ela é bonita?
Por outro lado não se consegue carregar muitas delas e nem comprar mais, pois o caixa não gostaria de contá-las tantas…
Acostumamo-nos tanto a olhá-la só pelo número que nem sabemos que cara tem. E, aí é que “caímos do cavalo”.
Pela cara? Não. Pelo hábito de só olhar as coisas, os fatos, as pessoas por um lado só. Pelo exercício da percepção dos dois lados da questão ou do negócio, ou da troca ou transação que executamos. Eu e o outro. Se eu ficar bem, o outro que se ajeite.
Um negócio só é bom quando é bom para os dois lados, isto é, para quem vende e para quem compra. Para quem cede e para quem usufrui desse bem. Para quem serve e para quem paga.
“Cara e coroa. A Cesar o que é de Cesar, a Deus o que é de Deus” Será?
E a moeda? Ela não conta? Só é vista pela coroa? Ou pela cara por uns poucos?
Quem são os que a vêem como uma, inteira, uma?
Simplesmente uma moeda. Que nos garante o pão de cada dia. (e… diga-se, o pão de hoje, porque o de ontem já é pão velho e o de amanhã não saiu ainda!).

SIMPLESMENTE UMA MOEDA, QUE CONTÉM UM VALOR, QUE REPRESENTA UMA TROCA, QUE GERA UM BEM, QUE PODE SER UM MAL TAMBÉM, MAS QUE SÃO APENAS…
… FACES DA MESMA MOEDA!