Estudo mostra Covid afetando diversos órgãos

Informações detalhadas sobre os danos extrapulmonares do novo coronavírus foram apresentadas por médicos da Universidade Columbia e outras instituições dos Estados Unidos. 

Uma pesquisa publicada na sexta-feira, dia 10 de fevereiro, na revista Nature Medicine, considerada a revisão mais completa sobre os efeitos extrapulmonares da Covid-19 confirma que os médicos precisam pensar na Covid-19 como uma doença multissistêmica.

Principais achados do estudo:

Coágulos sanguíneos. Neste aspecto, cientistas especulam que o maior número de trombose em pacientes infectados pelo novo coronavírus se deva ao fato de que o vírus ataca células presentes nos vasos sanguíneos. 

Inflamação: onde uma superestimulação do sistema imunológico pode levar a uma inflamação descontrolada – e letal – no organismo.

Coração: como não é só por meio da formação de coágulos que o novo coronavírus ameaça o órgão que bombeia sangue para o corpo: ele também causa danos por si só no coração, mas os mecanismos pelos quais isso acontece ainda não são conhecidos. 

Insuficiência renal: pois os rins também podem ser atingidos, mesmo que não seja possível dizer se esses efeitos são de longo prazo, os autores suspeitam que, sim, muitas pessoas curadas da Covid-19 vão precisar seguir fazendo procedimentos que ajudem no funcionamento renal. 

Efeitos neurológicos com o risco do vírus criar inflamação no cérebro. 

Para alguns especialistas o novo coronavírus é realmente incomum e é impressionante o número de manifestações que ele tem no corpo humano.