… do Umbará para o mundo

Fugindo um pouco do lugar comum de discutir as mazelas de nosso Brasil, do Paraná e da nossa Curitiba, este mês vamos destacar a ação de um filho da região que também sabe remar contra a maré da crise, se destacando como um orgulho para o Paraná. Joanir Zonta, cujo nome se confunde com a sua grande criação, o Condor, conquistou a confiança e a simpatia dos consumidores pela competência e profissionalismo e também por respeitar sua origem, sua comunidade, a família e seus 11 mil colaboradores diretos. Este desenvolvimento, e mais que isto, a modernização constante do Condor Super Center é resultado da dedicação, do trabalho, da ousadia e capacidade empreendedora “deste Zonta”, como dizem alguns amigos ao comentar o sucesso deste empreendedor. Vale lembrar que a rede foi uma das pioneiras na automação do controle e atendimento. Coisa do passado. Com este seu “orgulho de ser paranaense”, hoje, Joanir Zonta coloca em prática ideias contemporâneas com tecnologia de ponta como os painéis que cobrem a loja Santa Quitéria, uma usina de energia solar com mais de 50 mil kWh/mês (a maior do Sul do Brasil, suficiente para 200 famílias) e os mais modernos sistemas de controle administrativo integram-se em todas as lojas da rede. Em busca do mais moderno e de soluções sustentáveis, esta rede conta com uma clientela de 4 milhões de pessoas/mês consumindo seus 20,...

Veja mais

Desfile oficial do Pinheirinho

Envolvidos no dia a dia do trabalho aqui na Gazeta do Bairro, nosso envolvimento com organismos oficiais, muitas vezes fica um pouco comprometido. Neste sentido, ao mesmo tempo em que nos orgulhamos desta distância, respeitosa, que mantemos com estes organismos, em outros momentos ouvimos ser esta a razão de alguns “esquecimentos” quando são desenvolvidas atividades “oficiais” dentro da região onde circula a Gazeta do Bairro. Entre um e outro destes “desencontros” o que calou mais fundo é o distanciamento entre a coordenação do nosso querido Desfile Cívico Militar do Pinheirinho, onde, desde sua criação, participávamos com muito orgulho e emoção. Como já comentamos em anos anteriores, quando Gustavo Fruet assumiu a prefeitura da cidade, seus representantes na Regional Pinheirinho tomaram para si a coordenação e a realização do evento, tornando-o como uma realização da Regional (ou da Sub-prefeitura). Uma realidade que deve mudar com a atual administração, mais democrática, aberta e participativa. Deve mudar. Estamos esperando que mude, em especial pela presença do amigo João do Suco à frente da Administração Regional. Assim, como temos feito durantes estes últimos 4 anos, continuamos assistindo o evento, torcendo pelo sucesso do mesmo e mais que isto, lutando, para que o Desfile Cívico Militar do Pinheirinho se mantenha como marca da região. Reclamando… para que volte à ser realizado com todos. Todos que dela fazem parte hoje, sim, com muita justiça. Com...

Veja mais

Justiça de privilegiados

Integrantes do judiciário receberam aumento de 134% acima da inflação (350% em termos nominais), mais o acréscimo nominal de 41% concedido em 2016. Com estes aumentos e nível salarial dos juízes e funcionários, gastamos 1,3% do PIB , ou seja, quatro vezes o gasto da Alemanha (0,32%), oito vezes o do Chile (0,22%), dez vezes o da Argentina (0,13%). Ao somarmos o Ministério Público como um todo dentro do judiciário atingimos 1,6% do PIB. Se chegarmos às defensorias públicas este montante vai para 1,8% do PIB. Quanto representa este percentual total de 1,8%? R$ 110 bilhões por ano. Além dos elevados salários, a estrutura do Judiciário também é faraônica em benesses e mordomias. São, cinco Tribunais Superiores, 27 Tribunais de Justiça estaduais, três Tribunais Militares estaduais, 27 Justiças Eleitorais nos Estados, cinco regiões da Justiça Federal, além de 24 regiões da Justiça do Trabalho. Para manter o expediente e sustentar a mordomia de mais de 16 mil juízes existe um batalhão de 390 mil funcionários, quase 25 por juiz. Nenhum outro país do mundo emprega, ou sustenta, um número tão grande de “funcionários públicos”. São 205 “servidores com estabilidade” para cada 100 mil habitantes. Na Alemanha são 67 e na Argentina 150. O número de juízes até que é baixo; 8,2 magistrados para cada 100 mil habitantes, 1/3 da Alemanha. Assim, ficamos com poucos juízes ganhando muito. Fazendo mais...

Veja mais

Novas expectativas

Com as expectativas renovadas, ingressamos em 2017 com os olhos voltados para frente, na esperança de melhorias. Isto não acontece por acaso. Vem com um certo assentamento na emporcalhada política nacional e em especial, como resultado da luta de cada um de nós na busca da sustentação de nossas atividades. Na verdade, pouco mudou além da disposição em retornar ao trabalho onde cada um de nós tem obrigação de fazer a sua parte. Outro aspecto importante é voltarmos os olhos para as proximidades, para a comunidade que nos cerca e onde na verdade vivemos nosso dia a dia. Neste sentido, cada empresário, cada cidadão, deve se concentrar em ações comunitárias visando sua relação com os clientes, em sua maioria, com os próprios vizinhos. Dentro do slogan da Gazeta do Bairro em defesa da comunidade, estamos destacando mais uma ação da ACCR, a Associação do Comércio do Capão Raso que lança agora em fevereiro a campanha “Comprar aqui vale a pena”. Veja cartaz nas empresas associadas e na contracapa deste jornal. Uma iniciativa louvável, do amigo Cláudio Turin, visando unir ainda mais o comércio local em busca de resultados sim, mas em especial visando a conquista de melhorias para toda a comunidade, uma vez que desenvolve ações na área de segurança e ampliação das relações comunitárias. Como é comunitário este trabalho acaba envolvendo empresários e empresas que tem aqui suas...

Veja mais

Transporte coletivo

O exemplo do transporte coletivo de Curitiba já não é o mesmo. São problemas em diversos aspectos que nos mostram no dia a dia que este sistema vêm se desgastando ao mesmo tempo em que tem apresentado poucas melhorias e praticamente todas em termos de alterações de veículos e rotas. É bom dar uma olhada com mais atenção para os usuários e a comunidade em geral que utiliza este sistema e também como ele tem funcionado em seu meio. Um exemplo são os constantes acidentes e em especial os atropelamentos. Mesmo entendendo a responsabilidade ou mesmo a falta de responsabilidade dos pedestres, ou das pessoas ao cruzarem as canaletas é impossível ignorar os riscos que corremos ao passar por estes locais. Diferentemente de outros locais “normais”, ali, a atenção precisa ser redobrada pois os motoristas dos ônibus se adonaram de tal maneira deste uso exclusivo das canaletas que dá a impressão de que esqueceram do resto da sociedade que precisa a todo instante cruzar estas vias. Da mesma maneira, além da precariedade de sinalização em geral, a condição da pista, calçadas e passagens desta via se encontram em estado lamentável. Os riscos de escorregar, tropeçar, etc são muito grandes, deixando o pedestre ocupado em transpor estes obstáculos que acaba se assustando com a chegada do vermelhão. Resumidamente questiono você que transita pela linha do biarticulado: já levou um susto...

Veja mais

Vamos discutir o futuro da Gazeta do Bairro?

Neste mundo moderno, a novidade que está se instalando é o coletivismo, a associação de ideias e ideais para um objetivo comum. E é neste sentido que com a chegada do final de mais um ano, nós da Gazeta do Bairro estamos gestando a possibilidade de uma ação coletiva dentro de nossa comunidade. A base de tudo é a imersão do jornal de maneira definitiva dentro da grande rede, através nosso site (no ar desde 2005) e das redes sociais. Neste sentido já conseguimos consolidar a veiculação diária de informações de interesse geral. Mas este trabalho não pode parar por aí, temos de consolidar este site com mais vídeos e entrevistas visando concretizar o projeto de site como um todo. Ao mesmo tempo, estamos nos preparando para ampliar esta presença na grande rede recebendo sugestões da comunidade e buscando ideias de fora, de outros jornais nesta modernização e necessidade de maior interação entre os veículos de comunicação com parcerias e associativismos visando ampliar e consolidar ainda mais a presença do jornal, seja dentro da linha que apregoamos até o momento, seja com o acréscimo de novos ideias e investimos neste projeto que já atingiu mais de vinte anos de existência. Então, meu amigo, minha amiga, se você tem interesse neste setor, em todas as áreas de multimídia, temos espaço e disposição para emparelhar parcerias visando ampliar o alcance de...

Veja mais

Segundo turno, e daí?

Como exemplo vou deixar apenas dois defensores da necessidade de mais sacríficos dos contribuintes em relação ao INSS. Os poderosos Edison Lobão e Moreira Franco. Eles defendem o aumento do tempo de contribuição, mas não servem como exemplo; conseguiram com seus ex-cargos políticos “polpudas” aposentadorias antes do tempo. Os dois foram governador por poucos anos. Mas sobrou o extra do ex. Mas o maior exemplo, está no topo da pirâmide, o presidente Michel Temer, se aposentou aos 55 anos de idade (salário de mais de R$ 30 mil). Assim vai a vida da grande parte dos políticos “espertos” e “geniais” que defendem mais sacrifícios de quem vive fora deste meio pernicioso que é a política. Para eles “gordas” aposentadorias com poucos anos de trabalho (trabalho? onde?). Para o povo em geral aposentadoria aos 60, 70 anos para ficarmos engordando as tetas na Nação para regalo dos corruptos. Esta vergonha se espalha por todo o Brasil, com ex-governadores e ex-parlamentares recebendo fartas aposentadorias em pleno vigor físico e intelectual, quando não conseguem somar outras rendas com cargos partilhados por corruptos que ainda querem mais. É só ver os políticos ai na faixa dos 50 anos que vamos encontrar muitos mais do que estes que estou citando aqui. Para nós, só acima dos 60 e com teto limitado, enquanto eles se esbaldam com salário integral. Até entendo a necessidade de aumentar...

Veja mais

Trabalho sem milagres

Sendo franco e direto, tenho procurado deixar clara minha opinião como editor da Gazeta do Bairro, opinião dentro e fora do Jornal. Hoje vou falar mais uma vez de eleição, mais especificamente de eleição para a Câmara Municipal de Curitiba. Na hora de escolher o seu candidato use o raciocínio, leve em consideração a importância de olhar bem ao seu redor. Veja quais os candidatos mais próximos de você que tem a possibilidade e merecimento de receber seu voto. Compare bem, em especial aos candidatos distantes você, que vêm de outras regiões, de outros bairros, de outras partes da cidade. Olhe com atenção que, eventualmente, pode ser até um candidato que você pode optar pelas ideias, princípios, pelo que já realizou. Aqui meu alerta é na verdade para levar em consideração o candidato mais próximo de você, de sua família, sua residência, seu local de trabalho. Uma pessoa que você conheça bem. Então, use sua balança, fique atento às qualidades. Vai ter falhas, mas tem qualidades, acertos… Somos todos humanos, por isto podemos enfrentar momentos de divergência, pontos de divergência, mas o que deve prevalecer é a índole, o passado e em especial as perspectivas para o mandato que vamos delegar. Uma pessoa próxima da gente, que a gente conhece, confia e sabe que pode contar deve ser vista com carinho. E é mais ou menos dentro deste raciocínio,...

Veja mais

Os “do Poder” e os que sustentam o Poder

Ao mesmo tempo em que assistimos a corrida eleitoral, as discórdias e disputas pelo poder, com atitudes vexatórias de nossos representantes, não podemos deixar de prestar atenção às demais pessoas que fazem parte de nosso dia a dia.

Veja mais

A busca neutralidade

Assim como toda ação é política, seja qual for nossa postura, a imparcialidade absoluta não existe. Primeiro a natureza de cada pessoa, seguida e alinhavada pela educação recebida em casa, no meio e na escola. Vamos sendo conduzidos a ver e viver de determinada maneira. Assim, de um Jeito ou de outro, por mais que tenhamos a intenção de agir de maneira imparcial, em termos absolutos, sempre vou atender, defender, a minha “verdade”. A soma do que somos e como vivemos age diretamente em nossa opinião, em nossos gostos e preferências gerais. No jeito e maneira de ser e agir. O exemplo do sistema político, ou mais precisamente do “modos operandi” da maioria de nossos políticos é desvirtuado na hora da busca do poder. Em vez de partir de ideias, princípios e interesses comuns, esta maioria sustenta sua atuação na busca de resultados econômicos, sociais e políticos, não para si e para seu grupo, ou grupos, visando sustentar-se no poder ou ao lado do poder e dos poderosos. Mesmo que alguém possa afirmar que esta imparcialidade não possa existir, mesmo ante a melhor das intenções ela vai existir. Só que esta imparcialidade pode ser para o bem ou para o mal. E em geral podemos identificar esta diferença com muita facilidade, sem a necessidade de tantos detalhes como estes descritos acima para explicar a posição pessoal de cada indivíduo....

Veja mais