Quanto mais se fala pior fica

Chega a ser quase constrangedor falar sobre este tema, mas é, ainda mais constrangedor, ver pessoas criticando estudiosos e intelectuais como se estudar um pouco mais fosse um risco para a pessoa virar comunista. O absurdo de criticar o indispensável aprendizado de novas línguas como sendo um risco de ver os filhos convivendo com comunistas. Com esta pausa para evitar algum palavrão volto ao tema lembrando a irritante crítica de pessoas que colocam a elite das universidades num mesmo saco, como se todos estivessem contaminados pelo esquerdismo extremo, ou pelo idiota e falecido comunismo. Mesmo reconhecendo que a esquerda...

Veja mais

Ainda vivemos numa democracia

Já devemos ter comentado sobre isto, mas é um tema que merece sempre ser retomado, discutido e analisado à luz de cada momento da sociedade. Em tempos de pandemia este tema se acende mais e vai em seu caminho recebendo de maneira especial os extremistas, os intolerantes e toda a gama de pessoas que sonha se acercar de uma realidade que caiba exatamente naquilo que deseja para si. Vamos voltar ao tema democracia. Sem necessidade de explicações técnicas, de origens de nomes, instituições, etc, o que importa mesmo é o que representa esta palavra dentro da realidade mundial. É...

Veja mais

Recordando

Este ano, completamos 25 anos sem conseguirmos comemorar recebendo os amigos e todos que fazem parte da história da Gazeta do Bairro. Vamos manter a calma e racionalidade para permanecer por aqui. Esperar o fim da pandemia.  Com edições mensais, quinzenais e semanais, tivemos grandes experiências. A principal marca, destaco com orgulho, foi a constância, uma edição seguida de outra, sem uma única falha, mês após mês, de janeiro a dezembro. Hoje faço questão de lembrar detalhes do editorial da edição 210, de dezembro de 2009, onde fui buscar uma matéria a pedido de um leitor e, casualmente, parei...

Veja mais

Ainda a educação

Muito se fala hoje sobre pensar fora da caixa. Pois vamos ver esta visão direcionada por quem entende a educação escolar como indispensável para o desenvolvimento humano. Dizendo ser preciso pensar fora da caixa, a atual geração de criadores de start-up, desviaram o raciocínio para pensar fora da caixa; uma nova caixa onde colocaram a busca do sucesso de sempre, o velho “vencer na vida” de maneira moderna. Bonito, mas continua significando, sempre, a conquista de riqueza (hoje também, valor de mercado). Aí vem o sonho (será utopia?): Vamos sair da caixa em busca do bem comum. Criar e...

Veja mais

Deveres e “Afazeres”

O homem, com sua tão propalada racionalidade, desenvolveu uma série de utensílios, ciência e conhecimento atingindo graus inimagináveis aos nossos ancestrais. Dos elementos e objetos mais práticos aos mais complexos para nosso uso no dia a dia e até mesmo nas descobertas absurdas e altamente complexas. A tecnologia vem dando saltos fantásticos melhorando as condições de alimentação, moradia, saúde, transporte, comunicação, agricultura, medicina, educação, entretenimento, etc., etc. A vida sendo prolongada, a tecnologia cada vez mais profunda. A parte física está muito bem assistida, assim como o volume e a disponibilidade de informações que abrem um leque com infinitas...

Veja mais

Bons exemplos geram bons hábitos

Entre os hábitos de nós brasileiros, o tradicional “levar vantagem”, está sendo substituído para o “meus direitos”. Uma realidade inquestionável, um vício, onde esquecemos que estes “meus” direitos devem ser exigidos na mesma proporção do “os meus deveres”. Assim estarei respeitando os direitos dos demais cidadãos entendendo que não posso ficar levando vantagem em tudo. É no equilíbrio das relações que encontramos a balança para um convívio harmonioso. Veja os versos da página 10. Ao olharmos para os grupos sociais e atividades em geral vamos encontrar profissões e atividades que são mais ou menos respeitadas, seja pelo status, pela...

Veja mais

… do Umbará para o mundo

Fugindo um pouco do lugar comum de discutir as mazelas de nosso Brasil, do Paraná e da nossa Curitiba, este mês vamos destacar a ação de um filho da região que também sabe remar contra a maré da crise, se destacando como um orgulho para o Paraná. Joanir Zonta, cujo nome se confunde com a sua grande criação, o Condor, conquistou a confiança e a simpatia dos consumidores pela competência e profissionalismo e também por respeitar sua origem, sua comunidade, a família e seus 11 mil colaboradores diretos. Este desenvolvimento, e mais que isto, a modernização constante do Condor Super Center é resultado da dedicação, do trabalho, da ousadia e capacidade empreendedora “deste Zonta”, como dizem alguns amigos ao comentar o sucesso deste empreendedor. Vale lembrar que a rede foi uma das pioneiras na automação do controle e atendimento. Coisa do passado. Com este seu “orgulho de ser paranaense”, hoje, Joanir Zonta coloca em prática ideias contemporâneas com tecnologia de ponta como os painéis que cobrem a loja Santa Quitéria, uma usina de energia solar com mais de 50 mil kWh/mês (a maior do Sul do Brasil, suficiente para 200 famílias) e os mais modernos sistemas de controle administrativo integram-se em todas as lojas da rede. Em busca do mais moderno e de soluções sustentáveis, esta rede conta com uma clientela de 4 milhões de pessoas/mês consumindo seus 20,...

Veja mais

Desfile oficial do Pinheirinho

Envolvidos no dia a dia do trabalho aqui na Gazeta do Bairro, nosso envolvimento com organismos oficiais, muitas vezes fica um pouco comprometido. Neste sentido, ao mesmo tempo em que nos orgulhamos desta distância, respeitosa, que mantemos com estes organismos, em outros momentos ouvimos ser esta a razão de alguns “esquecimentos” quando são desenvolvidas atividades “oficiais” dentro da região onde circula a Gazeta do Bairro. Entre um e outro destes “desencontros” o que calou mais fundo é o distanciamento entre a coordenação do nosso querido Desfile Cívico Militar do Pinheirinho, onde, desde sua criação, participávamos com muito orgulho e emoção. Como já comentamos em anos anteriores, quando Gustavo Fruet assumiu a prefeitura da cidade, seus representantes na Regional Pinheirinho tomaram para si a coordenação e a realização do evento, tornando-o como uma realização da Regional (ou da Sub-prefeitura). Uma realidade que deve mudar com a atual administração, mais democrática, aberta e participativa. Deve mudar. Estamos esperando que mude, em especial pela presença do amigo João do Suco à frente da Administração Regional. Assim, como temos feito durantes estes últimos 4 anos, continuamos assistindo o evento, torcendo pelo sucesso do mesmo e mais que isto, lutando, para que o Desfile Cívico Militar do Pinheirinho se mantenha como marca da região. Reclamando… para que volte à ser realizado com todos. Todos que dela fazem parte hoje, sim, com muita justiça. Com...

Veja mais

Justiça de privilegiados

Integrantes do judiciário receberam aumento de 134% acima da inflação (350% em termos nominais), mais o acréscimo nominal de 41% concedido em 2016. Com estes aumentos e nível salarial dos juízes e funcionários, gastamos 1,3% do PIB , ou seja, quatro vezes o gasto da Alemanha (0,32%), oito vezes o do Chile (0,22%), dez vezes o da Argentina (0,13%). Ao somarmos o Ministério Público como um todo dentro do judiciário atingimos 1,6% do PIB. Se chegarmos às defensorias públicas este montante vai para 1,8% do PIB. Quanto representa este percentual total de 1,8%? R$ 110 bilhões por ano. Além dos elevados salários, a estrutura do Judiciário também é faraônica em benesses e mordomias. São, cinco Tribunais Superiores, 27 Tribunais de Justiça estaduais, três Tribunais Militares estaduais, 27 Justiças Eleitorais nos Estados, cinco regiões da Justiça Federal, além de 24 regiões da Justiça do Trabalho. Para manter o expediente e sustentar a mordomia de mais de 16 mil juízes existe um batalhão de 390 mil funcionários, quase 25 por juiz. Nenhum outro país do mundo emprega, ou sustenta, um número tão grande de “funcionários públicos”. São 205 “servidores com estabilidade” para cada 100 mil habitantes. Na Alemanha são 67 e na Argentina 150. O número de juízes até que é baixo; 8,2 magistrados para cada 100 mil habitantes, 1/3 da Alemanha. Assim, ficamos com poucos juízes ganhando muito. Fazendo mais...

Veja mais

Novas expectativas

Com as expectativas renovadas, ingressamos em 2017 com os olhos voltados para frente, na esperança de melhorias. Isto não acontece por acaso. Vem com um certo assentamento na emporcalhada política nacional e em especial, como resultado da luta de cada um de nós na busca da sustentação de nossas atividades. Na verdade, pouco mudou além da disposição em retornar ao trabalho onde cada um de nós tem obrigação de fazer a sua parte. Outro aspecto importante é voltarmos os olhos para as proximidades, para a comunidade que nos cerca e onde na verdade vivemos nosso dia a dia. Neste sentido, cada empresário, cada cidadão, deve se concentrar em ações comunitárias visando sua relação com os clientes, em sua maioria, com os próprios vizinhos. Dentro do slogan da Gazeta do Bairro em defesa da comunidade, estamos destacando mais uma ação da ACCR, a Associação do Comércio do Capão Raso que lança agora em fevereiro a campanha “Comprar aqui vale a pena”. Veja cartaz nas empresas associadas e na contracapa deste jornal. Uma iniciativa louvável, do amigo Cláudio Turin, visando unir ainda mais o comércio local em busca de resultados sim, mas em especial visando a conquista de melhorias para toda a comunidade, uma vez que desenvolve ações na área de segurança e ampliação das relações comunitárias. Como é comunitário este trabalho acaba envolvendo empresários e empresas que tem aqui suas...

Veja mais

FOLHEIE E LEIA