Jornalista Humberto Schvabe

A cada dia fico mais perplexo diante de atitudes de pessoas empossadas em cargos públicos que se “adonam” de cargos como se devessem representar suas vontades, ou refletir as vontades daquele que o indica ao cargo, seguindo estes caminhos, com uma certa religiosidade às avessas.
Isto me incomoda tanto que por vezes chego às raias…
Em primeiro lugar vou às raias com meu baio (o meu cavalo), de onde “apeio”, tentando me acalmar. Em outras vou às raias da loucura mesmo. No segundo caso, me obrigo a mandar às favas, a desfaçatez de pessoas que fingem estar seguindo um caminho quando na verdade estão transitando numa estrada totalmente diferente.
Assim está acontecendo com o atual administrador da Regional Pinheirinho; insiste em ser parceiro para a realização do Desfile do Pinheirinho e ao mesmo tempo, toma para si toda a organização de um novo evento que não tem nada a ver com o tradicional Desfile Cívico Militar do Pinheiro (realizado pela Associação do Comércio da Macro Região do Pinheirinho-Ascomarp, em parceria com o Exército Brasileiro, Regional do Pinheirinho, Rotary Sítio Cercado, Polícia Militar do Paraná, Gazeta do Bairro, CTG Vinte de Setembro, escolas estaduais, escolas particulares da região, os queridos escoteiros, as velhas fanfarras e as tantas fanfarras criadas em função do desfile, os empresários da Winston Churchill e tantos outros parceiros que devo estar esquecendo nesta tarde fria e triste em que me obrigo a escrever estas palavras).
Quem lê e acompanha a Gazeta do Bairro ao longo destes últimos 14 anos de existência do desfile, é testemunha de que sempre acompanhamos de perto este Desfile. Que dele sempre fizemos parte, ao lado deste contingente de 2, 3, 4 e agora quase 8 mil pessoas que, debaixo de sol, ou de frio, sai para dar seu exemplo de civismo e amor à Pátria, no domingo que antecede ao 7 de setembro. Uma linda tradição que nos leva à emoção.
Pois bem vamos à situação que me leva a este texto.
Este ano, acompanhando os fatos vi o presidente da Ascomarp levar a documentação de convidados, organização, etc para a Regional e fiquei esperando, como sempre o convite para irmos com o Rotary até o Exército para iniciarmos os preparativos, a discussão o tema, e outros.
O tempo foi passando e nada, ligo aqui ligo ali. Estranhei. Mas… Até que procuramos o pessoal da Regional.
Falaram de marcar uma reunião. Falamos do tempo correndo, da necessidade de preparativos antes da primeira reunião com os participantes. Queriam reunião. Questionamos, mas fomos.
Com a desculpa de que o desfile precisava ser mais “democrático” convidaram associações de moradores, de comércio, chefes de núcleo e outros funcionários da prefeitura; algumas professoras municipais, guarda municipal e talvez mais alguém que não me lembre de cabeça. Uma confusão! Foi só crítica aos desfiles anteriores. Ficamos sem saber o que fazer.
É claro que nos desentendemos. Mas voltamos com mais tentativas de entendimento… Particularmente tentei conversar com o administrador e não consegui. Fomos chamados para mais uma reunião (através de e-mail) sem registro de pauta a ser discutida.
Nela ficou clara a intenção da Regional assumir o Desfile para si. Para a reunião, o mesmo público, com alguns gestores, e a presença do Rotary, mais algumas associações e representantes de outras regionais, bem como do Superintendente da Secretaria de Governo. Novamente as críticas aos desfiles anteriores, e, pior, o Superintendente questionou até mesmo ações da Ascomarp junto aos associados sobre arrecadação e prestação de contas (o fato mais estranho, onde ficou clara a interferência do funcionário público nas atividades da comunidade). Depois, percebendo o exagero de sua ação tentou amenizar se comprometendo, ao lado do Regional em nos “convidar” para a coordenação do evento, uma reivindicação que mantínhamos até então como meio de sustentar a presença da comunidade no evento. Logo após a reunião, vendo a impossibilidade de participar decidimos suspender o desfile e ficar fora deste evento que a Regional está realizando.
Em nome da Gazeta do Bairro e da Ascomarp estamos deixando claro à comunidade da região que o Desfile Cívico Militar do Pinheirinho deste ano está suspenso em função das interferências indevidas na organização do mesmo. Desta maneira, estaremos discutindo a reorganização do mesmo a partir do próximo ano.
Informamos também que este evento que a Regional do Pinheirinho está realizando na data em que havíamos programado para o Desfile Cívico esta está sendo utilizado fora dos objetivos tradicionais do nosso disfile surgido entre os empresários da Winston Churchill.
Informo ainda que este artigo esta sendo publicando com a concordância do presidente da Ascomarp, Irineu Christofolli.