A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba reforça a necessidade para que os pacientes com doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, entre outras, mantenham o acompanhamento de saúde, mesmo em tempos de pandemia e isolamento social. Em Curitiba, 74 unidades básicas de saúde funcionam para o atendimento desses pacientes.

“Não podemos cuidar da covid-19 e descuidar das demais doenças. Doenças do coração, por exemplo, são uma das principais causas de morte no mundo e para evitar as fatalidades precisamos trabalhar na prevenção e no acompanhamento dos quadros de saúde desses pacientes”, explica a secretária municipal da saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

Além do acompanhamento a doentes crônicos, deve ser mantido normalmente o pré-natal das gestantes, nas 74 unidades de saúde de referência

A secretária reforça que, com a pandemia, Curitiba reorganizou o sistema de saúde a fim de que pudesse atender os pacientes com sintomas respiratórios, com suspeita de covid-19, num fluxo separado, para evitar o risco de contaminação dos demais pacientes. Assim, nas 74 unidades básicas em funcionamento na cidade, quando o paciente chega, ele é direcionado já na entrada para um dos dois fluxos, separadamente. 

Veja mais

Márcia, lembra que, embora a indicação para que as gestantes e os doentes crônicos não deixem de fazer o acompanhamento nas unidades de saúde, este não é o momento para demais pacientes saudáveis marcarem consultas eletivas (agendadas e sem urgência) e check-ups. “Os check-ups podem aguardar passar esse momento crítico da pandemia”, orienta.  

Medicamentos 

Considerando a reorganização do sistema de saúde para o momento de pandemia, as receitas de medicamentos de uso contínuo foram renovadas automaticamente por mais 90 dias. Para usuários a partir de 70 anos ou com qualquer condição crônica, a entrega dos medicamentos pode ser feita a algum familiar na unidade de saúde de referência. Em caso de necessidade, pode haver também entrega domiciliar. Materiais para curativo e bolsas de colostomia seguem a mesma lógica.

Vacinas 

Além do acompanhamento dos doentes crônicos e gestantes, a Secretaria também reforça que outras 11 unidades de saúde de Curitiba estão abertas exclusivamente no município para a realização de vacinas do Calendário Nacional de Imunização.

“Dezenas de doenças podem ser evitadas com simples vacinas. Essas unidades estão abertas exclusivamente para isso, o que minimiza riscos de contaminação. Precisamos que a população não deixe de se proteger e imunizar, diz Márcia. 

Além das vacinas do Calendário Nacional de Imunização, a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba divulga periodicamente informações sobre a campanha nacional de vacinação contra a gripe. A vacina contra a influenza está sendo realizada em 21 pontos de vacinação externos, de forma escalonada. Neste momento, estão sendo vacinados os doentes crônicos.