Curitiba tem 0% de infestação pelo mosquito Aedes aegypti pelo quinto ano consecutivo, foi o que mostrou o último Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (LIRAa). O mapeamento foi realizado em outubro pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e vistoriou 22.577 imóveis.  

O LIRAa é uma ferramenta do Ministério da Saúde que apresenta a distribuição da infestação por tipo de criadouro nas diferentes regiões da cidade. O resultado fornece um mapa que ajuda a Prefeitura a direcionar as ações contra o mosquito. O objetivo é que esse indicador fique abaixo de 1%.

O levantamento faz parte das ações do programa Curitiba Sem Mosquito da Prefeitura, um conjunto de ações para evitar criadouros do mosquito e a transmissão autóctone da doença.

A escolha dos locais a serem visitados é feita por sorteio, dentro de metodologia aplicada em todo o País, em função da densidade populacional e do número de imóveis. 

Desde 2017, Curitiba realiza dois mapeamentos por ano, em períodos com diferentes condições climáticas. Em todos, manteve o índice de infestação abaixo de 1%.

Em 2020 o prefeito Rafael Greca convocou um mutirão metropolitano de combate ao mosquito, com o objetivo de promover um cinturão de proteção em Curitiba e região.

“O trabalho contínuo com os esforços da Prefeitura e da população na prevenção têm contribuído para manter a cidade livre da dengue”, conta a coordenadora do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti, Tatiana Faraco

Todo cuidado é pouco

De acordo com a coordenadora, embora o índice de infestação atual seja de 0%, é importante que a população não descuide e evite acumular água em locais que podem se tornar criadouros do mosquito.

“Não podemos descuidar do nosso ambiente, principalmente com a perspectiva de dias mais quentes, que favorecem a proliferação do mosquito. É preciso sempre fazer a remoção da água acumulada”, diz Tatiana.

Trabalho constante

Com a pandemia o trabalho dos agentes de endemias teve que passar por adaptações, incluir novos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), mas não deixou de ser realizado. Inspeções, ações de bloqueios e mutirões de limpeza continuaram acontecendo em 2020 e 2021.

Em uma ação integrada entre as secretarias municipais da Saúde e do Meio Ambiente, a Prefeitura promove durante todo o ano o mutirão Curitiba sem Mosquito, que faz a coleta de entulhos em regiões vulneráveis nos dez distritos sanitários da cidade.

Desde 2017, quando foi implantado, o mutirão recolheu mais de 3.8 mil toneladas de lixo e entulho. Neste ano, o mutirão já percorreu as dez regionais, mas terá ações mais intensas no final do ano.

Entre as ações continuadas, o programa manteve por todo o período a estratégia de instalar armadilhas larvitrampas em endereços espalhados pela cidade, após instaladas elas são vistoriadas semanalmente para verificar se há presença do mosquito naquela região.

Dez passos para afastar mosquito Aedes aegypti

1 – Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água.
2 – Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada.
3 – Não jogue lixo em terrenos baldios.
4 – Se guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre a boca para baixo.
5 – Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje.
6 – Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda.
7 – Se guardar pneus velhos, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva.
8 – Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água.
9 – Lave com frequência, com água e sabão, os recipientes usados para guardar água, pelo menos uma vez por semana.
10 – Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com frequência.