Fonte: Max Pixel

 

Há mais de três décadas Curitiba é destaque na imprensa do mundo todo como uma das melhores cidades para se viver no Brasil. Consciência ambiental, trânsito bem planejado, boa oferta de empregos e opções de entretenimento estão entre os motivos que sempre colocaram a capital paranaense no topo do ranking. Já foi eleita até mesmo a cidade mais inteligente e conectada do Brasil.

Essa história começou com uma campanha publicitária, na década de 80, em que a cidade se intitulava como “verde”. E ela é realmente, até hoje. Curitiba está em 5º lugar no ranking das cidades com mais área verde do mundo. São 16 parques, 14 bosques, mais de 1.000 espaços verdes urbanos e mais de 1,5 milhões de árvores plantadas em vias e estradas — que resultam no total de 50 metros quadrados de espaço verde por habitante. Além disso, 90% da população participa do programa de reciclagem e 70% do lixo da cidade é reciclado.

Uma inspiração para cidades como Campina Grande, na Paraíba, por exemplo, que conta com apenas metade do número de árvores considerado adequado pela Organização Mundial de Saúde e vem realizando mutirões de plantio para mudar essa realidade.

Curitiba também é exemplo quando se trata de desenvolvimento sustentável. Um estudo conduzido por pesquisadores do Instituto Santa Fé e da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, colocou a cidade paranaense no topo do ranking de sustentabilidade das regiões metropolitanas brasileiras. A análise, que considerou 38 regiões metropolitanas no Brasil e mais 207 cidades da África do Sul, levou em conta o acesso da população à infraestrutura urbana, como habitação, água, saneamento básico e eletricidade, itens que fazem parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (Organização das Nações Unidas).

 

Sistema de trânsito modelo no mundo

Outra questão em que Curitiba é modelo de inovação e desenvolvimento é a mobilidade urbana. São 120 quilômetros de ciclovias, que ligam a cidade de uma ponta a outra. Para se ter uma ideia, isso é mais do que as ciclovias de São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte juntas. As ruas e avenidas de Curitiba são largas, sinalizadas e bem projetadas, e o transporte público transformou-se em um modelo copiado em outras cidades — não só do Brasil como do mundo todo.

O sistema de ônibus de trânsito rápido de Curitiba — ou Bus Rapid Transit (BRT) — atende entre 70 a 80% das viagens diárias dos curitibanos, resultando em 25% menos emissão de carbono per capita do que a média das cidades brasileiras. Implantado na década de 80 e aperfeiçoado desde então, o sistema consegue conduzir as pessoas de um lado a outro da cidade com rapidez e eficiência, reduzindo a dependência do automóvel e com um custo de implantação infinitamente inferior ao das linhas de metrô. Os pontos de ônibus do BRT, com formato de tubo e visual futurista, tornaram a cidade famosa desde a sua construção. A eficiência do sistema, premiado internacionalmente, fez com que ele fosse adotado por mais de 300 cidades no mundo todo.

Como toda grande cidade, Curitiba, com seus cerca de 2 milhões de habitantes, também tem problemas. Mas segue enfrentando todos eles com planejamento e inovação, a mesma fórmula que vem adotando até hoje. Tem dado certo!

Fonte: Espaços verdes em Curitiba, por Bruna Carvalho, via Flickr (CC By 2.0)
Fonte: Cidade de Curitiba, por Augusto Janiscki Junior, via Flickr (CC By 2.0)