Nunca use sem consultar um dermatologista

Como os ácidos deixam a pele mais fina, ela fica mais vulnerável à ação dos raios ultravioletas do sol. Portanto, quem está fazendo o tratamento com ácidos é sempre orientado a proteger a pele do sol constantemente, utilizando filtros solares com alto fator de proteção no seu dia-a-dia.
Quem não está disposto a evitar o sol (ficar na praia exposto ao sol forte, por exemplo), não deve fazer estes tratamentos. Querer tratar a pele sem abrir mão de se queimar ao sol é uma contradição, pois é a radiação solar a principal responsável pelo envelhecimento.
Se as exigências com a proteção solar forem respeitadas, os tratamentos com ácidos não levam ao envelhecimento, muito pelo contrário.
Meninas, se vocês sofrem com problemas de manchas na pele, protejam-se sempre! Usar protetor solar diariamente é fundamental!
É interessante também evitar produtos à base de soja que contenham fitoestrógenos – os hormônios podem agravar o problema.
Como existe uma grande variedade de agentes clareadores, é essencial consultar um médico dermatologista já que o tratamento é longo e difícil. É fundamental uma avaliação precisa da sua pele antes de aplicar qualquer produto.

Tipos de ácidos

Fítico: antioxidante e clareador, encontrado nas sementes das plantas e nos grãos de alguns cereais.
Bórico: tem função antisséptica e aparece nas formulações de loções tônicas e adstringentes.
Fenol: através de um peeling profundo, combate os sinais extremos de envelhecimento. É dolorido e para a sua aplicação é necessária anestesia local.
Hialurônico: está presente naturalmente em nosso organismo, enrijecendo e amaciando a pele. A partir dos 30 anos de idade, sua produção cai e a reposição se faz necessária através de cremes manipulados.
Málico: extraído da maçã, deixa a pele viçosa, clareia manchas e atenua rugas. É encontrado em cremes industrializados ou manipulados.
Mandélico: esfoliante e clareador ameniza poros abertos e pode ser utilizado em peelings ou cremes.
Resorcina: usado em cremes ou peelings, é indicado para tratamentos de acne.
Ácido Tricloroacético (ATA): Usado em peelings, retira a camada superficial da pele dando lugar a uma nova. Tem efeito agressivo, criando uma crosta que permanece por cerca de dez dias, para depois surgir uma nova, bastante vermelha e sensível. É preciso fugir do sol por três meses.
Azeláico: ácido responsável para clarear sardas e melasmas (manchas do sol).
Ácido Retinóico – Derivado da vitamina A, é considerado o mais eficaz para combater o fotoenvelhecimento e a acne, conferindo maior firmeza e elasticidade à pele. Seu grande trunfo é tratamento da acne, do envelhecimento pela ação do sol e de estrias recentes. Utilizando antes dos peelings, afina e uniformiza a pele, facilitando a penetração da substância escolhida para o procedimento.
É recomendado em peelings no inverno ou em cremes de uso noturno. Inicialmente, deixa a pele descamada e vermelha e é necessário proteger-se contra o sol usando FPS acima de 15.

http://belezaesaude.dae.com.br/acidos/