Na noite de ontem, dia 12 de setembro, foi realizada solenidade de posse da nova diretoria do Conseg Capão Rosa, com a maioria de seus membros sendo reeleita numa demonstração da dedicação destas pessoas por dispor de seu tempo em favor do trabalho comunitário.

Sob a Liderança do empresário Antonio Coelho, o grupo de 10 moradores tradicionais do bairro assumiu o compromisso de ficar por dois anos com esta responsabilidade que vem respaldada pelas autoridades oficiais como sendo pessoas íntegras, idôneas e capazes de atuar nesta função de responsabilidade comunitária.

Ao lado do marceneiro Antônio Carlos Pontes Coelho, como vice, a professora Ivete Bussolo; o Guarda Municipal Roberto José Kuss como 1° Secretário ao lado da dedicada professora Eliziane Gorniak, 2ª Secretária e Assessor Parlamentar Vanderlei de Oliveira, como 1° Tesoureiro. Para o Conselho Fiscal foram eleitos o Major aposentado do Corpo de Bombeiros, Celso Acir Zarugner; o empresário Mozart Feld; a contadora Wanderléia França; o empresário Haroldo Schimdt e para o Conselho Deliberativo a Sra. Vania Muczinski. Empossados prestaram o compromisso de atuar ativamente nas demandas da comunidade.

Participaram da mesa o Deputado Estadual, Delegado Rubens Recalcatti, Vereador de Curitiba, Tico Kusma, o Comandante do 13º Batalhão, Tenente-Coronel Carlos Alberto Rodrigues Assunção, o Comandante da 3ª Companhia de Polícia Militar do 13º Batalhão, que atende o bairro Capão Raso, Capitão Wagner de Araújo, o representante da Secretaria Estadual de Segurança Pública e do Executivo Estadual, Cap. Durante, o Grupamento de Bombeiros, 1º Tenente Mauricio Batista Dubas, a Guarda Municipal, Supervisora Leoni, o Administrador Regional do Pinheirinho, Reinaldo Boaron.

Para o presidente do Conseg, conhecido como Toninho, um dos maiores desafios do conselho será ampliar a participação da comunidade nas reuniões mensais, já que é neste momento que há uma troca de informações entre os moradores, sendo possível direcionar e tornar mais eficiente o trabalho do Conseg. Falando em nome dos colegas a diretora Eliziane Gorniak agradece a todos que estiveram presente ao evento e aproveita para convidar os moradores para as próximas reuniões que ocorrem mensalmente.

Mas você sabe o que é e o que faz um Conselho Comunitário de Segurança?

O Conselho Comunitário de Segurança é formado por grupos de pessoas de uma mesma comunidade que se reúnem periodicamente para discutir, planejar, analisar e encaminhar os problemas relativos à segurança pública. Ou seja, é um meio de estreitar a relação entre comunidade e a polícia e fazer com que estas cooperem entre si. Ou seja, um espaço democrático que garante a participação ativa daqueles que moram ou trabalham no bairro.

Para integrar o Conseg os membros participam de uma eleição na comunidade, mas só estarão aptos a tomar posse, após serem submetidos a uma análise de antecedentes criminais. Além dos membros eleitos, integram os Consegs o comandante da Polícia Militar da área e o Delegado de Polícia titular do Distrito Policial. O Estado do Paraná foi o precursor de todos os Conselhos Comunitários de Segurança no Brasil, sendo a primeira experiência na cidade de Londrina, em 1982. Atualmente, em Curitiba, segundo os dados publicados pela Secretaria de Segurança, existem 33 Consegs ativos, ou seja, 44% dos bairros da capital representados.

História

O Conseg do Capão Raso nasceu, em 2012, após uma forte comoção da comunidade devido a um crime brutal que tirou a vida de um dos moradores do bairro.

Entre as ações mais importantes realizadas foi o apoio à instalação da 3ª Companhia da Polícia Militar em parceria com a Associação Comercial do bairro. E, a partir disso, a aproximação dela da comunidade. Com a implantação do projeto “Vizinhos solidários”, iniciativa em que vizinhos se organizam em grupos, depois, recebem a visita dos militares da 3ª Companhia em uma reunião nas próprias casas dos moradores para dialogar sobre segurança comunitária e ampliar a relação com as forças policiais do bairro. Com a implantação desse projeto, foi possível reduzir em 20% os indicadores de criminalidade nas ruas do projeto, segundo dados do 1º semestre de 2018 da PMPR. Atualmente, são mais de dezesseis líderes comunitários de segurança e mais de cinquenta ruas com câmaras comunitárias instaladas.  Esse projeto foi citado, em junho de 2018, como um exemplo de engajamento social durante o evento de lançamento do Índice de Democracia de Curitiba, pelo Instituto Atuação.

Para o morador Daniel Nazareno de Andrade “A implantação do projeto Vizinhança Solidária em minha região foi de grande importância para a drástica redução dos furtos e roubos, além da sensação maior de segurança. Contamos com a adesão de mais de cem residências, o que por si só já ajudou no maior cuidado de um vizinho com o outro, além da implantação de 24 câmeras com monitoramento online nas ruas. O projeto ainda permitiu maior entrosamento e aproximação da comunidade com a Polícia Militar, devido ao contato direto com a 3ª Companhia e o 13° Batalhão, além de termos aprendido a qualificar as chamadas realizadas para o 190”.

Segundo o empresário Antônio Pontes Coelho, reconduzido ao cargo de presidente do Conseg do Capão Raso, “a segurança da nossa comunidade depende da postura e da atuação conjunta de moradores, trabalhadores e das forças policiais. E é justamente essa atuação conjunta que precisa ser estreitada, por isso, nossas principais propostas seguem esse propósito”.

Durante a cerimônia de posse foi apresentada à comunidade uma proposta que contém as cinco prioridades do Conseg para os próximos dois anos.

Uma delas será a busca pela instalação definitiva da 3ª Companhia da PMPR. Atualmente, ela está situada em um imóvel locado, ao lado da Rua da Cidadania do Pinheirinho. Segundo Antônio, “não há dúvidas que a instalação da companhia foi um avanço significativo para o nosso bairro. Mas, para que esse benefício não seja descontinuado precisamos viabilizar a sua instalação definitiva. Precisamos de um espaço físico adequado e de recursos para a sua construção. Antes, a companhia que atendia o nosso bairro era a situada na praça da Avenida Presidente Kennedy, a seis quilômetros de distância. Dependendo do horário que eles recebiam a chamada, uma viatura poderia demorar mais de trinta minutos para nos atender. Hoje, em uma situação de emergência, seja no comércio, nas escolas, nas vias públicas ou com os moradores rapidamente contamos com a presença dos militares”

Um exemplo que o Conseg do Capão Raso pretende seguir é o da mobilização que ocorreu para a construção da companhia situada entre os shoppings importantes, situados no bairro Portão, que foi viabilizada a partir de uma parceria público privada. “Esperamos que os nossos empresários e o poder público sejam parceiros e possamos unir forças para fortalecer a segurança dos bairros Capão Raso e Pinheirinho”, reforça Antônio.

A comunidade é convidada a participar da posse e das próximas reuniões deste ano: 10/10, 07/11 e 12/12! Elas acontecem sempre das 19h30 às 21h00, na Rua da Cidadania do Pinheirinho.

“Se pretendemos ter uma comunidade mais segura precisamos nos envolver e participar das decisões e ações em prol dela”, ressalta Antônio.

Serviço:
Todas as atividades dos Conselhos Comunitários de Segurança – CONSEGs são regulamentadas pelo Decreto nº 5381, de 24 de outubro de 2016. Qualquer associação que se proponha a usar as prerrogativas e o nome do “CONSEG” no estado do Paraná deve ter suas atividades adequadas juridicamente às normativas dos seguintes dispositivos.

Conseg Capão Raso:
Email: [email protected]
Facebook: Conseg Capão Raso
Coordenação Estadual dos Consegs
Coordenador: Cel. PM RR Chehade Elias Geha
E-mail: [email protected]; [email protected]
Site: www.conseg.pr.gov.br
Facebook: Conseg PR