A afirmação foi feita pelo governador Beto Richa na abertura da Conferência Estadual das Cidades, que reuniu mais de mil pessoas em Foz do Iguaçu. O governador disse que o encontro deve ser indicação de ações para que as cidades cumpram a sua função social

O governador Beto Richa abriu na noite desta quarta-feira (16), em Foz do Iguaçu, a 6a. Conferência Estadual das Cidades, e disse que o encontro deve ser um indicador de ações a serem adotadas para que as cidades cumpram a sua função social, tornando-se entes mais inclusivos e participativos, conciliando desenvolvimento econômico com igualdade social e preservação do ambiente.

Mais de mil pessoas participaram da abertura do encontro que vai debater e propor políticas e soluções para os problemas urbanos dos municípios paranaenses. “Nosso compromisso deve ser o de melhorar o ambiente onde as pessoas vivem, que são as cidades”, disse, reforçando que a conferência se consolida como mecanismo de aperfeiçoamento das políticas públicas de desenvolvimento urbano e gestão dos municípios.

O governador falou sobre o apoio do Governo do Estado para garantir investimentos que melhorem as condições de vida da população. Somente para obras e equipamentos urbanos já foram disponibilizados R$ 2,3 bilhões para prefeituras. “Nossa gestão prioriza as cidades, os bairros, os distritos rurais e as pequenas comunidades”, afirmou. “Vamos continuar agindo em parceria, em sintonia com os interesses e demandas das comunidades”.

Richa salientou ainda a redução da extrema pobreza no Paraná em 57,4%. “Número alcançado graças a programas que atendem emergencialmente as pessoas, como o nosso Família Paranaense, que é modelo nacional. O programa visa a emancipação do pai e da mãe da família, que recebem auxílio do governo, mas têm obrigação de participar de projetos de mão de obra e qualificação profissional”, salientou.

APERFEIÇOAMENTO – Organizado pelo Conselho das Cidades do Paraná (Concidades), da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, o encontro estadual vai aprovar propostas que serão levadas para a Conferência Nacional das Cidades, que acontecerá em Brasília, em data ainda não definida. O evento foi precedido por plenárias municipais, promovidas no ano passado, que aprovaram proposições e elegeram delegados.

Richa lembrou que o Paraná foi um dos primeiros estados a cumprir o Estatuto das Cidades no que se refere à organização das conferências. “As conferências municipais apresentam contribuições inovadoras para problemas prementes ligados à saúde, meio ambiente, saneamento, segurança, habitação e transporte público”, disse.

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, a conferência dá sequência ao trabalho do governo estadual junto aos municípios. “Nós tomamos cuidado no planejamento das cidades, tanto que o Paraná é o único Estado do Brasil em que todos os municípios têm plano diretor. Acho que esta conferência consolida ainda mais nosso projeto”, disse.

PRESENÇAS – Também participaram da mesa diretiva da conferência a secretária de Estado da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; a vice-governadora Cida Borghetti; o presidente da Sanepar, Mounir Chaowice; o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; o diretor do fórum da Comarca de Foz do Iguaçu, juiz Glaucio Simões; o representante da comissão preparatório estadual, Osni Bazilio Mendes; o representante da área profissional, acadêmica e de pesquisas, Andrea Luiza Currialinho Braga; o representante da coordenação executiva estadual, Antonio Weinhardt; o secretário executivo do Concidades-PR, Mauro Rockembach; o representante do poder público estadual, Izabella Maria; o representante dos movimentos sociais, Orlando Bonette; o representante dos trabalhadores, Sirlei Cesar de Oliveira; o representante dos empresários, Walter Xavier;  represente das ONG’s, Ailton Martins Lima.